Para Queiroga, Brasil ainda não atingiu pico da variante Ômicron

No momento, Ministério monitora a sobrecarga sobre o sistema de saúde e o nível de ocupação das UTIs

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou, neste sábado, 5, avaliou que o país ainda não chegou ao pico da nova onda de Covid-19, causada pela variante Ômicron – ainda que, no final de janeiro, o Brasil tenha alcançado a marca de 300 mil casos diários de infecção por coronavírus.

“Analisando a última semana epidemiológica do país, tivemos aumento de casos causado pela covid-19 e ainda não chegamos no pico da onda causada pela Ômicron. O enfrentamento contra a doença continua”, pontuou o ministro.

De acordo com o chefe da pasta da Saúde, atualmente o Ministério monitora a sobrecarga sobre o sistema de saúde e o nível de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no país. “Há espaço para abertura de novos leitos e estamos apoiando os Estados sempre que necessário. A atenção primária também tem sido reforçada”, disse.

Em seguida, Queiroga ainda reforçou a importância da vacinação contra a Covid-19 para controlar o avanço da doença e para evitar o agravamento dos casos de contaminação. “Se você ainda não tomou a segunda dose e a dose de reforço, não esqueça de completar seu esquema vacinal”, alertou.

Veja o comentário publicado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, neste sábado:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.