Para Lissauer, PEC da Educação tem que ser debatida com deputados antes de ser pautada

Matéria é tida como inconstitucional por alguns parlamentares, mas segundo presidente da Casa, procuradoria do governo diz ser legal

Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

Ainda não há data para que entre na pauta, na Assembleia Legislativa, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que trata sobre a junção dos recursos da Universidade Estadual de Goiás (UEG), 2%, aos da Educação Básica, 25%. A informação é do presidente da Casa, deputado Lissauer Vieira (PSB), que diz esperar pelo pedido de “start” do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Inclusive, conforme Lissauer, na última semana ele se reuniu com o governador para tratar do assunto, que disse ao deputado que quer trabalhar essa matéria. O presidente do Legislativo teria exposto ao gestor a necessidade de uma conversa com os demais legisladores, por se tratar de um tema polêmico.

O pessebista entende que a oposição deve votar contra e que a base tende a diminuir diante de matérias complexas como esta, mas preferiu não estipular números. “Quem saberá dizer melhor sobre isso é o líder do governo”, disse, referindo-se a Bruno Peixoto (MDB).

Lissauer também preferiu não opinar sobre a PEC. Ele reconheceu que existe um questionamento sobre a inconstitucionalidade da matéria, como foi explanado por Antônio Gomide (PT), Lêda Borges (PSDB) e Henrique Arantes (PTB), mas citou que procuradoria do governo garantiu ser constitucional.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.