Para líder, magistrado foi induzido ao erro em suspensão de matérias do governo

“Não há nada irregular. Basta a assinatura do presidente. O regimento interno é muito claro”, diz líder ao rebater deputado Cláudio Meirelles que alegou, na Justiça, que matérias foram publicadas sem sua assinatura 

Bruno Peixoto, líder do governo | Foto: Maykon Cardoso/Alego

O deputado Cláudio Meirelles (PTC) conseguiu nova liminar na Justiça para barrar matérias importantes para o Governo de Goiás aprovadas durante sessões extraordinárias da Assembleia Legislativa (Alego). No entanto, a medida não parece preocupar o líder de governo, deputado Bruno Peixoto (MDB), que garante que tudo foi feito conforme estabelece o regimento interno da Casa.

“Não há nada irregular. Basta a assinatura do presidente. O regimento interno é muito claro”, diz o líder ao rebater Meirelles que alegou, na Justiça, que matérias foram publicadas sem sua assinatura  — ele é o 1° secretário da mesa diretora.

Para Peixoto, “a peça levou o magistrado ao erro”. “Ele [Cláudio Meirelles] informa [o magistrado] de uma maneira a não analisar todo o regimento interno da Casa e sim partes isoladas do texto. Sem sombra de dúvidas essa decisão deve ser revista”.

Por fim, o líder do governo Caiado na Alego lembrou que outras duas liminares articuladas por Meirelles na tentativa de impedir o bom andamento das matérias de interesse do governo foram derrubadas. “Isso mostra que estamos agindo dentro do regimento e fazendo tudo da maneira correta”.

A liminar em questão suspende matérias de autoria do Executivo como Estatutos do Servidor e do Magistério, PEC da Previdência e projetos de ordem tributária já aprovadas pelo Legislativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.