Para Lêda, apoiar PEC da Educação feriria seus princípios como ser humano e como profissional

Segundo a parlamentar, já existe um consenso por parte de alguns partidos no sentido de acionar a justiça para questionar a legalidade da matéria

Lêda Borges | Foto: Felipe Cardoso / Jornal Opção

A deputada Lêda Borges falou sobre a possibilidade de judicialização da PEC da Educação e da PEC dos depósitos judiciais. Segundo a parlamentar, já existe um consenso por parte de alguns partidos no sentido de acionar a justiça para questionar a legalidade dessas matérias.

“As duas matérias ainda não estão judicializadas pelos partidos, a partir da sanção dessas alterações na constituição estadual é que nós iremos judicializar”, explica a parlamentar. Ainda de acordo com a deputada, a aprovação da diminuição de recursos para a educação não deve ser comemorada.

Para ela, a escola de qualidade pública é um direito de todos e dever do Estado. “Nós estamos falando do mínimo constitucional para a educação, principalmente básica. Fora os 2% para a Universidade Estadual de Goiás, que já era insuficiente, e agora passa a ser incluído nos 25% que deveria ir para a educação básica”, explica Lêda.

“O parlamentar é livre para votar da forma como ele entende o processo. Jamais, como mãe e professora eu votaria a favor de uma matéria como essa porque eu iria contra os meus princípios como ser humano e como profissional”, concluiu a deputada, ao comentar votos da oposição na PEC da Educação.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.