Para Iris, excesso de carros é o real problema do trânsito na Capital

Prefeito diz que para resolver a situação das vias mais congestionadas de Goiânia é preciso uma mudança cultural

Foto: Divulgação

Questionado sobre a situação das avenidas e ruas de Goiânia, que vivem engarrafadas nos horários de pico, o prefeito Iris Rezende (MDB) tirou a responsabilidade da administração municipal e disse que a mudança tem que ser cultural para resolver o problema.

“Quando eu fui prefeito a primeira vez, para cada automóvel dentro de Goiânia nós tínhamos 30 carroças, a luta da Prefeitura era limpar o coco dos cavalos nas ruas, hoje você chega em uma casa, o marido tem carro, a esposa tem carro, se tem três filhos universitários, cada um tem carro”, disse.

Para Iris, o problema é que todos esses carros em uma só casa saem no mesmo horário para seus destinos. ” Não tem avenida, você pode abrir como quiser, pode botar mil guardas, que não adianta”, justificou.

A ideia do prefeito é criar um projeto de mudança na cultura da população em relação ao uso do automóvel. “Por que todas as universidades abrem no mesmo horário?”, questionou, citando o mesmo exemplo para escolas e comércios.

“Eu passo às 8h da manhã e a loja está aberta, oito funcionários lá sorrindo e não tem um freguês, por que não estabelecer horários diferentes para entrada da equipe?”, sugeriu. Iris disse, ainda, que o mesmo esquema de escala deveria ser feito em universidades.

O emedebista também supôs que o problema do atraso do transporte coletivo é devido à super lotação de carros nas avenidas e não à má gestão municipal. “Os ônibus ficam impedidos de atender à demanda, porque os carros particulares entopem as ruas e não os deixam passar”, finalizou.

Uma pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM), de julho de 2018, mostrou que Goiânia possuía 605,3 mil carros, tendo a 6ª maior frota do País. A proporção era de um carro para 2,42 habitantes da Capital.

Já a frota de ônibus, de acordo com o mesmo estudo, colocava a Cidade na 8ª posição, com 6,7 mil veículos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Oliveira

Jogar a culpa do engarrafamento do trânsito por carros é fácil. Difícil é a prefeitura assumir a competência de ter terminado os corredores exclusivos por ônibus. Compramos carros por não ter um serviço de transporte público eficiente e qualitativo.

ValdemirMedrado

E o excesso do buracos nas ruas da capital o que seria? Seria culpa do excesso de veículos automotores também ou será falta de gestão pública eficiente? Esse nobre senhor, está governando esse município pela quarta vez e só agora detectou esse problema? Acho que está passando da hora desse senhor abandonar a política, a visão dele é apenas de oneração aos munícipes, tem uma ganância por dinheiro jamais vista em qualquer outro administrador, será que esse saco não tem fundo? Ao invés de ficar procurando justificativa para a sua péssima gestão, deveria era dedicar, pelo menos um pouquinho ao… Leia mais

RODRIGO GOMES

E O BRT QUE NÃO TERMINA. SERIA UMA ÓTIMA SOLUÇÃO PARA ALIVIAR O TRANSITO