Para ficar com coleção de cobras, mulher mata o próprio marido

As serpentes eram avaliadas em mais de R$ 5 milhões e seriam o motivo para o crime

Uma história chama a atenção: o colecionador de anacondas, Benício, foi morto pela esposa, Lynlee, juntamente com o ex-namorado dela, Michel, para “herdarem” sua coleção de cobras. Segundo informações, os animais criados pela vítima tinham valor de R$ 5 milhões no mercado informal.

O valor da coleção de cobras foi a motivação do crime planejado por Lynlee, que tinha a intensão de vender as serpentes.

No dia do crime, Lynlee ligou para a polícia e disse que seu marido tinha sido atacado por uma das anacondas. Ela disse para as autoridades que havia encontrado o corpo dele nas instalações onde Ben abrigava as cobras. O local tinha mais de 3 mil répteis. Mas a mulher foi desmascarada quando os investigadores descobriram que as marcas no corpo de Benício não eram de mordidas de cobra e sim disparos de arma de fogo.

O caso ficou parado por mais de três anos, até que em 2020, Brandon Blackwell, o novo parceiro de Lynlee procurou a polícia afirmando que estava com medo de ser morto por ela. E disse que ela havia confessado que teria tentado matar o marido envenenado com a ajuda de uma funcionária que trabalhava para ela, mas que sua tentativa foi frustrada. Então, ela procurou o ex-namorado Michael Humphrey para armar outro plano.

O júri condenou Lynlee por assassinato em segundo grau, punição por ação criminosa. Agora, ela terá que cumprir 16 anos de prisão. As informações são da CBS News.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.