Para economista do BNDES, crise se deve a benefícios dados a mulheres e trabalhadores rurais

Fala foi feita durante evento da Secretaria de Economia de Goiás que discute situação fiscal de Goiás

Foto: Francisco Costa/ Jornal Opção

Durante o seminário organizado pela Secretaria da Economia de Goiás, que discute a situação fiscal do Estado, o economista do BNDES Fábio Giambiagi atribuiu a crise do sistema previdenciário brasileiro ao que interpreta como generosidades excessivas a grupos de contribuintes, além de um pouco tempo de contribuição.

“Estamos permitindo que pessoas recebam benefícios no auge de suas atuações”, afirmou o economista.

Em sua fala, Fábio afirmou que o sistema favorece mulheres e trabalhadores rurais. Sobre o tempo mínimo de contribuição, o economista disse que os atuais 15 anos mínimos previstos pela legislação atual só é visto em 10 países.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.