Para brasileiros, privatização é a melhor alternativa para equilíbrio das contas públicas

Pesquisa divulgada pelo CNI mostra que, entre outras opções apresentadas, brasileiros avaliam a privatização como a melhor alternativa

Entre os brasileiros que acham que o governo deve manter os gastos atuais, a melhor alternativa para garantir a estabilização das contas públicas seria a venda e concessão de empresas públicas para a iniciativa privada. A informação é da pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada nesta terça-feira (12/7).

Entre as três opções apresentadas, aumento da dívida pública, criação de novos impostos e concessão de bens e empresas públicas para a iniciativa privada, a última foi a mais escolhida, por 42% dos entrevistados. As outras alternativas tiveram preferência de 12% e 17% das pessoas, respectivamente.

É importante destacar também que, esta opinião corresponde à parcela de 15% dos entrevistados  que acreditam que o governo deve manter o nível de gastos, mesmo mediante os déficits orçamentários verificados nos anos de 2014 e 2015. A grande maioria, 80% dos entrevistados, consideram que o governo deve reduzir os gastos atuais.

Impostos

O governo já arrecada muito e não precisa aumentar impostos para melhorar os serviços públicos. A avaliação é de 81% de brasileiros consultados na pesquisa da CNI.

O percentual que considera os impostos no Brasil muito elevados passou de 44% em 2010 para 65% em 2016. Os que consideram que os impostos vêm aumentando muito subiram de 43% em 2010 para 83% este ano. Além disso, 70% concordam que a baixa qualidade dos serviços públicos é mais consequência da má utilização dos recursos do que da falta deles.

Para 84% dos entrevistados, os impostos no Brasil são elevados ou muito elevados e 73% são contra o retorno da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Serviços públicos

Saúde e segurança pública são os serviços públicos mais mal avaliados. Com base na opinião da população, foi construído um índice que vai de zero a 100. Valores superiores a 50 representam a parcela da população que considera o serviço de alta ou muita qualidade e aqueles abaixo de 50 indicam maior avaliação negativa do serviço.

A saúde e a segurança têm as piores avaliações entre 13 serviços analisados. Receberam os índices mais baixos: 20 e 22 pontos.

Nenhum dos serviços alcançou índice acima de 50 pontos. Os que tiveram a melhor avaliação foram o fornecimento de energia elétrica e os Correios, com 48 e 46 pontos, respectivamente.

Contas públicas

Quanto menor a instância de governo, maior a percepção da população de que o dinheiro é bem utilizado. A pesquisa apurou que 83% consideram que os recursos federais são mal utilizados ou muito mal utilizados pelo presidente da República e seus ministros. O percentual cai para 73% quando se analisa o orçamento estadual e para 70% quanto se verifica o municipal.

A pesquisa foi feita em parceria com o Instituto Brasileiro de Opinião e Estatística (Ibope) e entrevistou 2.002 pessoas em 143 municípios, entre os dias 17 e 20 de março. (Com informações Agência Brasil)

Uma resposta para “Para brasileiros, privatização é a melhor alternativa para equilíbrio das contas públicas”

  1. Antonio Alves disse:

    As pessoas que acham que a privatização resolve o problema da administração pública pensam que as empresas públicas serão vendidas para equilibrar as contas dos governos e serão felizes para sempre. Não é bem assim que acontece. Na administração do PSDB, se entrou nessa onda, privatizou-se Cachoeira Dourada e está dando o que falar até hoje. Com a privatização, se resolve um problema imediato e se arruma um problema permanente. O dinheiro da privatização desaparece e problemas como o rombo da previdência tendem a aparecer de forma mais contundente no futuro. Aí se percebe que o Estado não possui mais aquele bem que foi privatizado e continua com as dívidas. Privatizar é bom negócio para a corrupção, que leva boa parte do dinheiro dos bens privatizados. Depois perde-se a galinha dos ovos de ouro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.