Para ACIC, comércio fechado no feriado representa prejuízo de 15% no faturamento

Associação justifica ainda que, devido à pandemia, mais de 2.500 pessoas já perderam seus postos de trabalho somente na região Central da capital

Foto: Reprodução

A Associação Comercial e Industrial do Centro de Goiânia (ACIC) é contra o fechamento do comércio na segunda e terça-feira de Carnaval e justifica que dois dias sem atividades representam uma queda de 15% do faturamento das empresas. 

Segundo o presidente da ACIC, o advogado Uilson Manzan, o comércio de rua da capital ainda sofre com a crise causada pela pandemia de coronavírus e revela que mais de 2.500 pessoas já perderam os postos de trabalho somente no Centro. 

“Hoje nosso faturamento está em 60%, 70%, e dois dias fechados fariam muita diferença. Além do mais, acreditamos que terá demanda de clientes por serviços e produtos pelo fato do Carnaval ter sido cancelado em boa parte das cidades. É muito melhor para o empregado e a sociedade que seja preservado o emprego do que se agarrar a dois dias de folga, uma vez que não haverá entrada de recursos para as empresas”, reforça Uilson. 

Seceg é contra a abertura 

O Sindicato dos Empregados no Comércio no Estado de Goiás (Seceg) se posicionou contra a abertura do comércio e declarou que a medida prejudicaria direitos conquistados. 

“Não podemos transferir para o comerciário os riscos na decisão de quando irá gozar o feriado. Historicamente temos uma postura empresarial de imposição dos seus desejos.

 O empregado é a parte fraca e nós estamos aqui para barrar qualquer situação de constrangimento e prejuízo aos direitos conquistados”, afirmou o presidente do Seceg, Eduardo Amorim. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.