Foi a primeira cerimônia de santificação no Vaticano em mais de dois anos por conta da pandemia de Covid-19

O Papa Francisco canonizou neste domingo, 15, 10 novos santos, incluindo a primeira santa do Uruguai, a religiosa ítalo-uruguaia Francisca Rubatto, diante de milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro.

O pontífice argentino, vestido com paramentos sagrados de cor branca e que permaneceu sentado devido às dores no joelho, pronunciou a frase com a qual proclamou Rubatto (1844-1904), que dedicou parte de sua vida a ajudar os pobres de vários países da América do Sul, como santa.

Durante a cerimônia, a primeira em três anos devido à pandemia de Covid, o papa canonizou outros nove santos, incluindo o francês Charles de Foucauld (1858-1916), o jornalista holandês Titus Brandsma, executado no campo de extermínio nazista de Dachau, em 1942, e Lázaro, um mártir indiano do século XVIII.

Durante a missa em latim foi pronunciado o tradicional verso que pede que os 10 candidatos sejam inscritos no chamado Livro dos Santos para que sejam venerados pela Igreja.

Esta é uma das canonizações mais numerosas da história, com a presença de delegações de vários países da Europa, África e América Latina, além de parentes e integrantes de ordens religiosas.