Vírus é transmitido por contato direto com o sangue, líquidos ou tecidos de pessoas ou animais infectados

Centro de tratamento contra o ebola | Luis Fonseca/Lusa
Centro de tratamento contra o ebola | Luis Fonseca/Lusa

Representantes de 12 países, integrantes da Aliança Bolivariana para os Povos da América (Alba) se reúnem nesta segunda-feira (20/10) em Havana, Cuba, com o objetivo de discutir medidas para prevenir e impedir a expansão do vírus ebola. A reunião foi proposta pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, na semana passada.

“Será uma reunião exclusiva para tratar do ebola. Queremos preparar os nossos países para prevenir e enfrentar a ameaça do ebola, um grande tema de saúde, porque é uma grande ameaça e temos de nos preparar”, disse.

De acordo com a agência cubana Prensa Latina, participarão da reunião representantes de Antígua e Barbados,da Bolívia, de Cuba, da Dominica, do Equador, da Nicarágua, de Santa Lucia, São Vicente Granadinas, da Venezuela, do Suriname, da Guiana e do Haiti. Também deve participar o coordenador da Organização das Nações Unidas para a Luta contra o Ebola, David Nabarro.

Segundo o último balanço da Organização Mundial da Saúde, o vírus causou mais de 4.500 mortes e cerca de 9 mil casos são registrados na Libéria, em Serra Leoa e na Guiné-Conacri, os países mais afetados, mas também na Nigéria, no Senegal, na Espanha e nos Estados Unidos.

O ebola é transmitido por contato direto com o sangue, líquidos ou tecidos de pessoas ou animais infectados. O vírus foi identificado pela primeira vez em 1976.

Não existe vacina nem tratamento específico e a taxa de mortalidade é elevada. O período de incubação da doença pode durar até três semanas.