Santa Catarina: Pai mantém duas filhas isoladas em casa por mais de 10 anos e tem 3 filhos com cada uma

Atualmente, uma das filhas abusadas está grávida do quarto filho. Após ser preso, o homem alegou distúrbios mentais e deve responder pelos crimes de estupro de vulnerável e estupro comum

As filhas foram abusadas pelo pai e tiveram, cada uma, três filhos com ele | Foto: Rodrigo PhilippS

As filhas foram abusadas pelo pai e tiveram, cada uma, três filhos com ele | Foto: Rodrigo Philipps

Um homem de 45 anos foi preso no interior de Santa Catarina suspeito de abusar das duas filhas, de 22 e 24 anos, por mais de 10 anos e mantê-las isoladas em casa sob ameaça de morte. De acordo com a Polícia Civil do Estado, o suspeito teve três filhos com cada uma das jovens. As crianças têm entre um e nove anos.

O pai das jovens foi detido após denúncia anônima. A filha mais nova afirmou que o pai ameaçava todos de morte – inclusive as crianças –, e nunca permitiu que saíssem de casa, nem para frequentar a escola, por exemplo. Atualmente, uma das filhas está grávida do quarto filho.

Jovem segura nos braços um dos filhos que teve com o próprio pai

Jovem segura nos braços um dos filhos que teve com o próprio pai

A família vivia em uma casa isolada na zona rural de Rio Negrinho. A mulher do suspeito confirmou o caso e disse que também era ameaçada. Ela não será incriminada, segundo a polícia, por também ser vítima do homem.

A assistência social e o Conselho Tutelar foram acionados para ajudarem nas investigações. O homem confirmou em depoimento que realmente abusou das filhas, mas alegou possuir um distúrbio mental. Ele foi encaminhado ao presídio da cidade.

As vítimas receberão o acompanhamento do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas).

O homem foi encaminhado para o Presídio Regional de Mafra e deve responder pelos crimes de estupro de vulnerável (violência sexual contra crianças de até 14 anos), com pena que varia de oito a 15 anos de prisão; e estupro comum (para violência a jovens acima de 14 anos), com pena que varia de seis a 10 anos.

Em Goiás

No final do ano passado um caso chamou atenção em Goiás. Vilmar Ribeiro de Oliveira, de 51 anos, foi filmado abusando da própria filha de 13 anos. O homem foi preso por policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Goiânia. A vítima relatou à polícia que os abusos foram iniciados quando tinha 7 anos. Quando criança, a vítima chegou a relatar os abusos à mãe, porém foi ameaçada pelo pai e teve de desmentir a história.

Na época, a delegada Simelli Lemes, da DPCA, disse ao Jornal Opção Online que cerca de 60% das investigações movidas pela delegacia no Estado apontam familiares como sendo os autores dos abusos sexuais, “dentre eles, os padrastos vêm em primeiro lugar, seguidos de perto pelos pais.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.