Padre Robson diz que foi vítima de agressão, mas perdoa perseguidores

Religioso fez primeira aparição pública após arquivamento de processo pelo STJ

Por meio de pronunciamento feito em live, nesta quinta-feira, 21, o Padre Robson de Oliveira comentou as investigações de supostos desvios de dinheiro de fieis durante sua passagem na presidência da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). Foi a primeira vez que o religioso se manifestou desde o início do processo. Na segunda-feira, 18, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou recurso do Ministério Público de Goiás (MP-GO) e manteve o arquivamento da investigação.

Durante a live, o padre afirmou que “o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira, e a salvação vencerá a condenação”, citando o Papa Francisco. Além disso, ele destacou que “há um ano e oito meses foi vítima de uma agressão absurda”, ao dizer que teve a casa e a privacidade invadida “da pior maneira que alguém possa imaginar”

O depoimento cita sentimentos de “constrangimento e a humilhação” durante a atuação dos investigadores e classifica o episódio como “algo insano, ilegal, desnecessário, humilhante e, certamente, organizado de uma forma antecipada e meticulosa”. Nesse sentido, o religioso aponta que a investigação só foi aberta para manchar sua história de vida e de trabalho. Apesar disso, o Padre Robson revelou que reza pelos que não estiveram ao seu lado. “Estou rezando pelos que me difamaram, me caluniaram, me injuriaram sem medidas nem critérios, desde já os perdoo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.