“OSs são fiscalizadas e Goiás é modelo nacional nos contratos de gestão”, diz Leonardo Vilela

Secretário estadual de Saúde respondeu críticas feitas pelo deputado e pré-candidato ao governo, Daniel Vilela

Foto: Fernando Leite

O Secretário de Estado da Saúde, Leonardo Vilela, afirma ter ficado surpreso com uma série de declarações que considerou incoerentes proferidas pelo deputado federal e pré-candidato ao governo de Goiás Daniel Vilela (MDB) à imprensa.

“Como gestor, não posso deixar de dizer que o parlamentar condena, de forma infundada, o trabalho que trouxe a verdadeira excelência aos serviços de Saúde Estaduais no Estado, com a implantação das Organizações Sociais”, disse.

Leonardo rebate as críticas alusivas ao projeto desenvolvido no âmbito da Saúde que tem atraído representantes de todas as unidades da federação para conhecer de perto o salto qualitativo e quantitativo dos serviços de saúde oferecido em Goiás.

“O respaldo desse trabalho vem por meio das acreditações de seis hospitais estaduais que receberam títulos de qualidade da respeitada Organização Nacional de Acreditação (ONA) que emprega critérios rigorosíssimos para aplicar as certificações em todo país”, salientou. Todos os demais estão em processo de certificação da qualidade do seu atendimento.

Além disso, lembra Leonardo, cinco comitivas internacionais, quatro ministros de estado, mais de 20 de diversos estados, além de mais de mil reuniões com técnicos de instituições de ensino, pesquisa e tecnologia já vieram a Goiás para conferir o avanço na sistematização das informações e monitoramento dos indicadores de saúde, representadas pelo Centro de Decisões e Informações Estratégicas Conecta SUS Zilda Arns Neumann, e ainda, no controle e aperfeiçoamento dos contratos de gestão.

Leonardo enfatiza que todos os dados referentes às OS são absolutamente transparentes, disponíveis em sua completude no portal da Secretaria Estadual de Saúde que são desde os chamamentos, os contratos, os repasses financeiros e os aditivos. “É preciso consultar, antes, essas informações, para evitar declarações levianas”, ponderou Leonardo.

Com relação a esse tópico, Leonardo aponta que é de suma importância salientar que além dos órgãos de controle interno na SES-GO que monitoram, diariamente, todas as atividades nos hospitais (seja de serviços, seja financeira ou administrativamente), que o trabalho das OSS recebe acompanhamento criterioso pela Controladoria Geral do Estado (CGE) e também a fiscalização de órgãos de controle externo, como o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público.

Segundo o secretário, não há registro na história recente de Goiás, do quantitativo de tantas obras de saúde entregues à população como as Unidades de Saúde Especializadas em Goianésia e Quinirópolis, além de outras quatro que estão sendo finalizadas em regiões estratégicas no Estado.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.