OS afirma que Hugo regulariza gradativamente serviços e retoma funcionamento

Com cronograma de repasses da SES/GO, Instituto Haver avança na reavaliação de contratos com colaboradores e fornecedores

Foto: divulgação

O Instituto Haver, que assumiu a gestão do Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo), emergencialmente, há dez dias, tem avaliado contratos com fornecedores, prestadores de serviços. Neste sábado, 8, formalizado a sucessão dos celetistas que têm interesse em continuar na unidade de saúde, a Organização Social afirmou que não houve solicitação de desligamento ou pedido de remoção de servidores.

Em função da grandiosidade, em termos de atendimentos, o número de leitos, colaboradores e estrutura necessária para viabilizar seu funcionamento, as ações no Hugo são graduais e devem ser analisadas com o máximo critério e cuidado. Ainda assim, nenhum serviço deixou de ser prestado e a taxa de ocupação nesses dez dias girou em torno de 90%, superando a meta estipulada em contrato com a Secretaria Estadual da Saúde (SES/GO), que é de 85%.

O acordo realizado com a pasta da Saúde, que se comprometeu em repassar recursos para a gestão da unidade de forma escalonada, tem sido cumprido. Isso faz com que a organização social garanta o acesso da população goiana à assistência adequada e de qualidade, razão pela qual o hospital se mantém como referência em urgência e emergência, com atendimento 100% gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Com funcionamento total, o Hugo informa que todos os serviços estão normalizados. Nesses dez dias, 300 pacientes foram submetidos a procedimentos cirúrgicos, entre cirurgias programadas e emergenciais. Os contratos com as prestadoras de serviços que fazem parte das atividades necessárias ao funcionamento ideal do hospital estão garantidos e em plena execução, assim como os estoques da farmácia estão sendo normalmente reabastecidos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.