Os afagos políticos entre Marconi e Kassab

Em eventos na capital, tucano e pessedista trocaram elogios diversas vezes. É com esse comportamento que o governador pretende colocar seu nome em destaque no País

kassab e marconi

Marconi visava parceria com Kassab logo após Dilma tê-lo anunciado como ministro | Foto: Leioiram

A vontade do tucano Marconi Perillo em projetar seu nome nacionalmente com a ajuda dos pessedistas Vilmar Rocha, secretário do governo e presidente estadual do PSD, e de Gilberto Kassab, ministro das Cidades, dá sinais de sucesso, logo no início do segundo mês do ano.

O elo entre as esferas estadual e federal ficou evidente com a passagem, por Goiânia, de Kassab. Ele é economista, engenheiro civil e ex-prefeito de São Paulo. Foram três eventos diferentes em que elogiou o governador.

Incialmente, ao comentar sobre a parceria que o governo estadual fez com a Prefeitura de Goiânia para revitalizar a Praça Cívica, afirmando que Marconi dá exemplos à administração pública de modo geral.

Outro sinal de fumaça de que a aproximação está fluindo veio quando Kassab disse que o Estado de Goiás é privilegiado por ser governado por um jovem que tem mais anos de vida pública em cargo majoritário no Brasil. O ministro citou ainda a trajetória do tucano como deputado estadual, federal e senador.

Por isso, ressaltou, Marconi governa com espírito republicano e faz bom uso dos recursos públicos — inclusive àqueles advindos da União. E para firmar os convênios e ter trânsito livre em Brasília, nada melhor do que empossar o ex-deputado federal Vilmar na Secretaria de Cidades, Infraestrutura e Meio Ambiente (Secima). Conforme pontuou, a mais bem estruturada pasta da atual gestão goiana.

Liderança e coordenação foram palavras usadas por Kassab ao se referir ao governador. É que no fim da manhã Vilmar e os superintendentes executivos da Secima apresentaram à cúpula do ministério ações a serem executadas em Goiás.

“Para que a boa gestão de Marconi possa continuar contando com o apoio do governo federal e da presidente Dilma Rousseff [PT]. Porque aqueles que são bons administradores precisam dessa parceria para corresponder às expectativas da população”, resumiu o ministro.

Entre elas o VLT, na Avenida Anhanguera, obras de mobilidade urbana, o programa que prevê o fim dos aterros sanitários em Goiás e propostas da área da habitação e saneamento básico.

Enquanto Kassab concede entrevista, Vilmar e Marconi conversam ao pé do ouvido | Foto: Marcello Dantas/Opção Online

Ao fundo, Vilmar e Marconi conversam ao pé do ouvido | Foto: Marcello Dantas/Opção Online

Como retribuição, o goiano sublinhou que a parceria de revitalização da Praça Cívica marca o envolvimento e comprometimento de Dilma com os assuntos do Estado e da capital. Para o tucano, a presença de Kassab foi satisfatório.

“O senhor é um amigo muito caro para nós todo aqui, muito caro, não é Vilmar? Além de ter sido prefeito de São Paulo, é um dos mais importantes articuladores da presidente Dilma e do governo federal nesta gestão”, respondeu o governador. Ele completou dizendo que seu está aberto para colaborar com a gestão da petista.

E ao fim da jornada com Kassab, Marconi disparou: “Agora, Dilma sabe quem somos nós”.

Marconi no PSD

Em entrevista coletiva, o Kassab repercutiu a coluna Bastidores, do Jornal Opção, que citou a possibilidade dele apostar em Marconi para a presidência da República em 2018.

“Todos sabem: volto a reafirmar que estou licenciado da presidência do partido. E enquanto for ministro não me cabe discutir nenhuma pauta política ou partidária”, esquivou.

Deixe um comentário