Oposição quer retirar RRF da pauta de última sessão da Assembleia antes do recesso

“Governador quer dividir com esta Casa a responsabilidade e este Poder poderia estar sendo preservado disso”, disse

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O deputado Hélio de Sousa (PSDB), da oposição, apresentou, na manhã desta quarta-feira, 3, um requerimento pedindo a retirada do projeto que autoriza o Governo do Estado a disputar entrada no Regime de Recuperação Fiscal (RRF) da pauta da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).

Ele, que teve discurso endossado por deputados também da oposição, como Lêda Borges (PSDB), Lucas Calil (PSD) e Cláudio Meirelles (PTC), argumenta que a Casa não precisaria votar essa matéria e somente deveria ser solicitada quando a administração estadual quiser aprovar as exigências do Plano.

“O governador quer dividir com esta Casa a responsabilidade e este Poder poderia estar sendo preservado disso. Estamos comprando uma guerra que era dispensável”, defendeu.

Sobre as exigências da RRF, ele Dr. Hélio seu posicionamento: “Nós não temos dúvidas de que são metas dolorosas, porque vão afetar a questão dos incentivos fiscais e inúmeras outras coisas”.

A deputada Lêda Borges disse, ainda, que o Governo tomou uma decisão política de dividir com a Assembleia a responsabilidade da adesão ao RRF. “Essa é uma vontade apenas de Caiado, não é uma vontade do povo. Estou aqui representando e defendendo o povo e não o Governo”, declarou.

Da base, o deputado Rafael Gouveia (DC) afirmou ser contrário ao requerimento. “Na última sessão eu já me coloquei favorável ao projeto que solicita autorização para Goiás aderir ao Regime de Recuperação Fiscal, e falei da importância para o nosso Estado de termos durante alguns meses a suspensão do pagamento com os bancos federais, para que o Governador possa realmente colocar o Estado no eixo. Por isso encaminho meu voto contrário”, disse.

O líder do Governo, Bruno Peixoto (MDB) também se posicionou contrário ao requerimento e disse que se a Casa não votar a adesão ao RRF estará sendo irresponsável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.