Oposição em Luziânia garante que prefeito Cristóvão Tormin não sairá candidato

Pessedista perdeu prazo para registrar ata de convenção partidária, na última semana, o que pode fazer com que Justiça indefira seu pedido de candidatura

O cenário eleitoral do município de Luziânia sofreu uma reviravolta na última semana, após o prefeito e candidato à reeleição, Cristóvão Tormin (PSD), perder o prazo para registro da ata da convenção partidária do PSD, o que pode acabar inviabilizando seu nome na disputa à prefeitura.

Mesmo sem o documento, Tormin registrou sua candidatura na última sexta-feira (12). Conforme apurado pela reportagem, a Justiça concedeu um prazo de 72 horas para que o prefeito apresentasse a ata, para, então, julgar o processo do pessedista.

Opositores na cidade, entretanto, garantem que o prefeito não conseguirá reaver sua situação na Justiça e seu pedido de candidatura acabará sendo indeferido. A expectativa é que a decisão judicial saia até a próxima quarta-feira (17).

Conforme adiantado pela coluna Bastidores, na terça (9), 20 minutos teriam feito com que Tormin perdesse o prazo para entregar a ata da convenção, não sendo possível gerar o protocolo do recebimento.

Na quarta (10), entretanto, o livro com as atas teria aparecido misteriosamente no prédio da Justiça eleitoral no município, sem qualquer carimbo de protocolo ou comprovante de recebimento. Para apurar o que houve, a juíza responsável pelo Fórum Eleitoral de Luziânia, Soraya Fagury Brito, instaurou uma inspeção.

Em entrevista, o candidato de oposição, Marcelo Melo (PSDB), afirmou que tem acompanhado o caso de perto e disse que o prefeito tem apresentado “seríssimas dificuldades”. O Jornal Opção não conseguiu entrar em contato com o prefeito Cristóvão Tormin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.