A Operação Lesa Pátria, deflagrou nesta sexta-feira, 27, mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de participar dos atos golpistas de 8 de janeiro, quando as sedes dos três Poderes foram destruídos em Brasília. Entre os alvos, está o primo dos filhos de Jair Bolsonaro (PL) e sobrinho do ex-presidente, conhecido como Léo Índio.

Léo Índio, de 39 anos, foi candidato a deputado pelo PL nas eleições do ano passado, mas saiu derrotado. Na urna, ele adotou o sobrenome da família do ex-presidente e se identificou como “Léo Índio Bolsonaro”. Ele é próximo dos filhos do ex-presidente, especialmente do vereador Carlos Bolsonaro. Nas redes sociais, Índio tem fotos com o vereador passeando em Buenos Aires e andando de bicicleta no Rio de Janeiro.

Suspeito de participar da invasão aos prédios dos Três Poderes, ele postou fotos e vídeos durante a invasão ao Supremo Tribunal Federal (STF). Em uma das imagens, Índio aparece em cima do prédio do Congresso Nacional, com os olhos vermelhos, o que possivelmente seria reação às bombas de gás lacrimogêneo da polícia. A PF precisa cumprir 11 mandados de prisão e 27 de busca e apreensão, expedidos pelo STF.