Operação Desventura prende quatro em Goiás

Nomes dos detidos não foram divulgados até o momento. Segundo investigações, foram desviados R$ 60 milhões com esquema em um ano

Presidente do inquérito, Marcela de Siqueira, e o procurador da República em Goiás, Hélio Telho (centro) | Foto: Reprodução/Vídeo/Youtube

Presidente do inquérito, Marcela de Siqueira, e o procurador da República em Goiás, Hélio Telho (centro) | Foto: Reprodução/Vídeo/Youtube

Quatro dos 13 mandados de prisão preventiva e temporária foram cumpridos em Goiás pela Polícia Federal, durante a Operação Desventura, desencadeada em mais cinco estados nesta quinta-feira (10).

Um dos presos em Goiás ainda deverá ser apresentado à PF, pois aguarda negociação com advogado para se entregar. Todas as conduções coercitivas e mandados de busca e apreensão já foram cumpridos.

Em entrevista coletiva na Superintendência da PF em Goiás nesta manhã foi divulgado balanço parcial da operação. Segundo as investigações, a organização criminosa tinha alta capilaridade por atuar em seis estados.

“Os bilhetes da loteria premiados e não recolhidos pelos beneficiados podem ser retirados em qualquer agência da Caixa. Isso fazia com que o esquema migrasse de acordo o recrutamento dos gerentes do Banco, no sentido de que eles estavam suscetíveis a organização criminosa”, explicou a presidente do inquérito, Marcela de Siqueira.

Segundo a PF, existem provas o suficiente que comprovam o modus operandi do grupo. Um investigado foi preso em flagrante em setembro do ano passado ao tentar sacar valor não revelado em uma agência de Pirenópolis, a 120 quilômetros de Goiânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.