Operação cumpre 11 mandados de busca e um de prisão por fraude na prefeitura de Itaberaí

Segundo o que foi apurado até agora, integravam o grupo criminoso um engenheiro avaliador, empresários de Itaberaí, um advogado concursado e o procurador-geral do município

Foto: Divulgação

Foi deflagrada na manhã desta quarta-feira, 15, em Goiânia e Itaberaí, operação com a finalidade de desarticular um grupo criminoso, instalado na atual gestão municipal de Itaberaí, que agia na alienação irregular de áreas públicas, com a venda, cessão e permita de áreas verdes e institucionais com o objetivo de satisfazer interesses próprios.

A ação coordenada pelas 1ª e 2ª promotorias contou com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP e das Polícias Civil e Militar.

Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão temporária. Foram também bloqueados bens de todos os investigados até o montante de R$ 300 mil. A Justiça de Itaberaí ainda determinou o sequestro e o arresto de 12 imóveis na cidade, fruto do desmembramento de uma área pública, com 2.961 metros quadrados, ao lado da nova sede da UEG, que foi desviada e apropriada pelos investigados.

Outras leis municipais e imóveis públicos disponibilizados pelo município para particulares, sem a previsão de qualquer finalidade pública, também são alvo da investigação.

Segundo o que foi apurado até agora, integravam o grupo criminoso um engenheiro avaliador, empresários de Itaberaí, um advogado concursado do município e o procurador-geral do município. Ainda está em apuração a participação no esquema de outros servidores municipais, além de vereadores, tendo em vista que todos as irregularidades e delitos praticados contaram com a edição de leis municipais que lhes davam aparência de legalidade.

A investigação está em andamento desenvolvida há aproximadamente um ano e será concluída nos próximos dias.

Os fatos apurados até o momento configuram, em tese, os crimes de associação criminosa, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de capitais, além dos crimes específicos da Lei de Parcelamento do Solo Urbano e da Lei de Licitações. (Com informações do MP-GO)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.