Operação no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia resulta em apreensão de armas e celulares

Materiais apreendidos serão catalogados e, posteriormente, destruídos

Reprodução

Reprodução

A Secretaria da Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus) realizou na manhã desta terça-feira (22/7) na Penitenciária Coronel Odenir Guimarães (POG), localizada no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, mais uma operação para inibir a entrada de materiais ilícitos na unidade prisional. Foram apreendidos 15 celulares, 11 carregadores, 18 chips, seis baterias de celulares, sete fones de ouvidos, duas facas artesanais, 50 litros de bebida artesanal e uma balança de precisão.

Os materiais apreendidos serão catalogados e, posteriormente, destruídos. A operação contou com a participação de servidores da própria unidade, com o Grupo de Operações Penitenciárias (GOPE), com as equipes das Gerências de Segurança, de Planejamento Operacional e da 1ª Regional Metropolitana, totalizando um total de 30 servidores envolvidos na ação.

Desde a denúncia de que detentos alojados no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia estariam recebendo regalias, a Sapejus tem intensificado a segurança no local. No dia 20 de junho, agentes apreenderam na POG 14 churrasqueiras e nove mesas de sinuca, sendo que na Casa de Prisão Provisória (CPP) encontraram 46 celulares e 2,4 kg de maconha.

Apesar das frequentes operações da pasta, a persistente entrada de materiais ilícitos nas unidades prisionais revela a deficiência do sistema prisional goiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.