Operação busca desarticular organização criminosa responsável por fraudar benefícios do seguro-desemprego

Quatro cidades estão no alvo das investigações, dentre elas, o município de Porangatu, em Goiás. A PF cumpre 21 mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão

Foto: Reprodução / Polícia Federal (PF)

Foi deflagrada, na manhã desta segunda-feira, 15, a segunda fase da Operação Mendacium que visa desarticular a prática de diversas fraudes, realizadas por uma organização criminosa, para recebimento indevido de seguro-desemprego. Cidades como São Paulo (SP), Mauá (SP), Porangatu (GO) e Ibicuí (BA) estão sob alvo da investigação.

De acordo com informações da Polícia Federal (PF) agentes cumprem, ao todo, 21 mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 8ª Vara Federal de São Paulo, graças a representação penal da PF.

Primeira fase

Na primeira fase das investigações, devido ao cumprimento de mandados de busca e apreensão, a PF encontrou parte dos líderes da organização criminosa responsável pelas fraudes.

Eles foram localizados em um escritório em porte de documentos falsos, apetrechos para falsificação de documentos, material de informática e aproximadamente R$ 420 mil em espécie. Todos foram presos em flagrante.

A investigação teve início após as autoridades receberem uma denúncia de um trabalhador na qual uma pessoa não identificada estaria recebendo seguro-desemprego em seu nome.

A apuração começou no ano de 2017 e já identificou 408 empresas inexistentes. Grande parte, a organização criminosa havia feito uso para recebimento fraudulento do benefício. O grupo, segundo apuração do Ministério da Economia, recebeu, de 2015 até 2019, mais de R$ 20 milhões. (Com informações da Polícia Federal)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.