Ônibus do Entorno do DF voltam a operar na Rodoviária do Plano Piloto

Prédio do Terminal Metropolitano de Brasília (Touring) será desativado e 110 linhas com destinos à 11 cidades serão transferidas. Com a mudança, os usuários não precisarão mais atravessar o Eixo Monumental

Foto: Reprodução.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai transferir o serviço de transporte coletivo semiurbano de passageiros (linhas do entorno) do Distrito Federal – Goiás para a Rodoviária do Plano Piloto. O prédio do Terminal Metropolitano de Brasília (Touring) será desativado e os ônibus irão ocupar dez boxes na Plataforma “E” (E1 a E10) e os cinco boxes da Plataforma “F Superior” da Rodoviária.

Ao todo, 110 rotas com destinos à 11 cidades do entorno irão ser transferidas. Com a mudança, os usuários não precisarão atravessar o Eixo Monumental, como é feito atualmente. O acesso direto à Rodoviária garante maior segurança e ofertas de serviços, além de facilitar o embarque e desembarque. As linhas atendem cerca de 200 mil passageiros por dia.

Há cinco anos, o transporte interestadual semiurbano funcionava na Rodoviária do Plano Piloto. Com a necessidade de reforma no prédio para receber os ônibus do Expresso DF Sul, o BRT do Gama e de Santa Maria, o prédio do Touring foi alugado pelo Governo do Distrito Federal (GDF) em 4 de junho de 2014 e o contrato expirou em 8 de dezembro de 2018. Desde então, o prédio estava sendo utilizado mediante requisição administrativa.

Fiscalização

A fiscalização de veículos não autorizados na Rodoviária será intensificada e os táxis ficarão proibidos de circular nas vias internas do terminal. Haverá dois pontos para os taxistas na parte inferior, com entrada exclusiva na ala norte (via N1), onde poderão ocupar oito vagas próximo à saída da Plataforma E e outras seis vagas na ala sul, próximo à entrada da Plataforma D. Já na plataforma superior o ponto de táxi permanecerá inalterado.

Os motoristas de veículos por aplicativo deverão operar na parte superior da Rodoviária. Na parte inferior só poderão fazer paradas rápidas no recuo da via N1, exclusivas para desembarque.

As medidas têm objetivo de otimizar a circulação dos ônibus e reduzir o tempo de permanência dos coletivos no terminal. Como a maior parte do transporte opera com passagens pagas em dinheiro, o embarque é mais demorado.

Confira os pontos de embarque e desembarque:

Foto: Divulgação.

Com as alterações, os locais de embarque e desembarque de algumas linhas do DF também mudam. As informações detalhadas estão disponíveis para consultas nos guichês de informações das operadoras, além dos totens da Rodoviária e cartazes afixados no terminal com o mapa de ocupação das plataformas e dos boxes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.