Obras no Centro de Goiânia devem ser concluídas até o final de 2020

Empresas fazem restauração em obras no IFG e na Casa de Cultura Altamiro de Moura Pacheco

Casa da Cultura Dr. Altamiro de Moura Pacheco, no Centro de Goiânia, passa por reformas. │Foto: Nelson Santos

Ao menos duas obras de restauração estão em processo de finalização no Centro de Goiânia. Uma delas é o Pórtico alusivo ao Batismo Cultural de Goiânia, erguida no Instituto Federal de Goiás (IFG). A outra, é o sobrado ‘Casa de Cultura Dr. Altamiro de Moura Pacheco’, localizado na Avenida Araguaia, esquina com Rua 15.

A primeira obra deve ser entregue ainda em novembro, enquanto a restauração da Casa de Cultura tem previsão para o início de dezembro. As obras são financiadas com recursos do Fundo de Arte e Cultura de Goiás (FAC). As empresas responsáveis dividiram o montante de R$ 1 milhão para as duas obras, sendo no total R$ 500 mil destinado para cada uma.

Pórtico no IFG

O Pórtico alusivo ao Batismo Cultural de Goiânia foi construído no IFG em 1942, em um extenso evento realizado por ocasião da inauguração da capital goiana. Apesar da obra ter sido liberada em edital de 2017, apenas no final de 2019 a verba foi liberada pela FAC.

“Estávamos organizando para começar as obras no começo do ano, mas teve um atraso por conta da pandemia”, justifica Anabella Borghi, produtora da Elysium, uma das empresas responsáveis pela reforma. Em agosto as obras de restauram tomaram partida e seguem o cronograma previsto, de acordo com a empresa.

Segundo a diretora geral do Câmpus Goiânia do IFG, a professora Maria de Lourdes Magalhães, a restauração do Pórtico significa uma vitória para a comunidade acadêmica, bem como para toda comunidade goianiense.

Casa de Cultura

Construída nos anos 40 e tombada como bem histórico de Goiânia pela prefeitura em 1999, a ‘Casa da Cultura Dr. Altamiro de Moura Pacheco’ foi doada para a Academia Goiana de Letras (AGL) em 1993. Com a morte de Altamiro, em 1996, seus bens, contendo fotos, medalhas, livros da histórica biblioteca, bens móveis e obras de arte foram doados também, para a preservação da história de Goiás.

Segundo Giulyane Nogueira, diretora da Engenho & Arte – a outra empresa responsável – o recurso para a restauração foi liberado apenas no começo de 2020 e que também por conta da pandemia a obra teve de começar em agosto.

Contudo, Giulyane aponta que as obras estão adiantadas, mesmo com suas especificidades. “ É preciso uma documentação detalhada junto à prefeitura. Além desse fator, é uma obra em que precisamos ver os elementos utilizados no bem original. Se for preciso trocar alguma coisa, procuramos repor de igual forma”.

O presidente da AGL, José Ubirajara Galli, indica que o local poderá voltar a ser um ponto de convívio para a sociedade goiana, além contribuir para manter viva a história de Altamiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.