Obras do corredor da Avenida 85 têm início nesta quarta-feira

Segundo a Secretaria Municipais de Obras (Semob) etapa do projeto segue até domingo

Palmeiras foram retiradas para obras do transporte coletivo| Foto: Reprodução/Twitter

Antes do início das obras, palmeiras foram retiradas | Foto: Reprodução/Twitter

Os motoristas que passarem pela Região Sul de Goiânia devem ter atenção redobrada até o início da semana que vem. Uma nova etapa das obras para a implantação do corredor preferencial de ônibus na Avenida 85, no trecho entre as avenidas 136 e Laudelino Gomes, se iniciaram nesta quarta-feira (14/1).

Com as novas intervenções, o canteiro central da 85 será fechado para conversões à esquerda para a Av.136 e para a Rua 137. O novo acesso, no sentido Centro/Serrinha, será pelas avenidas Mutirão e T-10. A circulação no sentido avenidas Mutirão/Ricardo Paranhos será extinta e o novo acesso será pela Avenida 85/Coronel Joaquim Bastos.

Segundo o Paço Municipal, a gestão do prefeito Paulo Garcia (PT) está construindo uma malha de corredores preferenciais de ônibus “para beneficiar o transporte coletivo e garantir a mobilidade urbana na cidade”.

No final da semana passada, depois de dividir a opinião dos goianienses, 21 palmeiras imperiais de parte do canteiro central da Avenida 85 foram retiradas com objetivo de abrir caminho para o iníciodas obras nesta quarta-feira.

O advogado Marcelo Feitosa, especialista em direito ambiental e desenvolvimento sustentável pela Universidade de Brasília (UnB), explicou ao Jornal Opção Online que a remoção das palmeiras feriu lei, “sobretudo o artigo primeiro do inciso terceiro da Lei de Ação Civil Pública, que considera violação qualquer ação que vise violar patrimônio estético e paisagístico”.

E, além disso, de acordo o especialista, a ação também violou o patrimônio estético e paisagístico de Goiânia e foi à contramão do conceito de sustentabilidade pregado pela gestão do petista.

Projeto

O projeto do corredor 85 vai interligar 66 linhas do transporte coletivo, atendendo diariamente mais de 600 mil usuários.

Ao todo, as obras vão receber investimentos na ordem de R$ 145,3 milhões, oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – Pacto pela Mobilidade, do Governo Federal e Tesouro Municipal.

As obras estão sendo realizadas por meio das Secretarias Municipais de Obras (Semob) e de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), e da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC).

4
Deixe um comentário

3 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
beatriz

se fosse uma reestruturação realmente…Infelizmente vai ser mais uma (não) solução paliativa aos moldes do que sempre faz a prefeitura. Uma demão de tinta, uns radares e tá pronto. Não vejo nada ousado urbanisticamente como padronização de calçadas, meio fio baixo, fiação subterrânea com iluminação LED, sinalização táctil, e mobiliário urbano novo. Iria finalizar dizendo isso é Brasil, mas aqui já existem lugares que estão promovendo transformações urbanas, vide Cabo Frio – RJ

CBS

Concordo integralmente. Pintura de faixas e nada mais. Ciclovia? Nem pensar!

CBS

Porém, acho muito interessante o fim das conversões à esquerda nas avenidas, os famosos “retorninhos”, pois isso “trava” o trânsito e provoca acidentes. Retorno deve ser feito em praças e rotatórias ou em vias de acesso.

CBS

Meu sonho pra Goiânia é ver a substituição da malha asfáltica nas vias de grande circulação, como na Av. 136 (Marista), Av. E (jd Goiás) e Rua 91 (St. Sul) principalmente, pois essas vias não aguentam mais remendos e chuvas. Parecem antigas estradas de paralelepípedos se soltando.