Obras do corredor da Avenida 85 têm início nesta quarta-feira

Segundo a Secretaria Municipais de Obras (Semob) etapa do projeto segue até domingo

Palmeiras foram retiradas para obras do transporte coletivo| Foto: Reprodução/Twitter

Antes do início das obras, palmeiras foram retiradas | Foto: Reprodução/Twitter

Os motoristas que passarem pela Região Sul de Goiânia devem ter atenção redobrada até o início da semana que vem. Uma nova etapa das obras para a implantação do corredor preferencial de ônibus na Avenida 85, no trecho entre as avenidas 136 e Laudelino Gomes, se iniciaram nesta quarta-feira (14/1).

Com as novas intervenções, o canteiro central da 85 será fechado para conversões à esquerda para a Av.136 e para a Rua 137. O novo acesso, no sentido Centro/Serrinha, será pelas avenidas Mutirão e T-10. A circulação no sentido avenidas Mutirão/Ricardo Paranhos será extinta e o novo acesso será pela Avenida 85/Coronel Joaquim Bastos.

Segundo o Paço Municipal, a gestão do prefeito Paulo Garcia (PT) está construindo uma malha de corredores preferenciais de ônibus “para beneficiar o transporte coletivo e garantir a mobilidade urbana na cidade”.

No final da semana passada, depois de dividir a opinião dos goianienses, 21 palmeiras imperiais de parte do canteiro central da Avenida 85 foram retiradas com objetivo de abrir caminho para o iníciodas obras nesta quarta-feira.

O advogado Marcelo Feitosa, especialista em direito ambiental e desenvolvimento sustentável pela Universidade de Brasília (UnB), explicou ao Jornal Opção Online que a remoção das palmeiras feriu lei, “sobretudo o artigo primeiro do inciso terceiro da Lei de Ação Civil Pública, que considera violação qualquer ação que vise violar patrimônio estético e paisagístico”.

E, além disso, de acordo o especialista, a ação também violou o patrimônio estético e paisagístico de Goiânia e foi à contramão do conceito de sustentabilidade pregado pela gestão do petista.

Projeto

O projeto do corredor 85 vai interligar 66 linhas do transporte coletivo, atendendo diariamente mais de 600 mil usuários.

Ao todo, as obras vão receber investimentos na ordem de R$ 145,3 milhões, oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – Pacto pela Mobilidade, do Governo Federal e Tesouro Municipal.

As obras estão sendo realizadas por meio das Secretarias Municipais de Obras (Semob) e de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), e da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC).

3 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

beatriz

se fosse uma reestruturação realmente…Infelizmente vai ser mais uma (não) solução paliativa aos moldes do que sempre faz a prefeitura. Uma demão de tinta, uns radares e tá pronto. Não vejo nada ousado urbanisticamente como padronização de calçadas, meio fio baixo, fiação subterrânea com iluminação LED, sinalização táctil, e mobiliário urbano novo. Iria finalizar dizendo isso é Brasil, mas aqui já existem lugares que estão promovendo transformações urbanas, vide Cabo Frio – RJ

CBS

Concordo integralmente. Pintura de faixas e nada mais. Ciclovia? Nem pensar!

CBS

Porém, acho muito interessante o fim das conversões à esquerda nas avenidas, os famosos “retorninhos”, pois isso “trava” o trânsito e provoca acidentes. Retorno deve ser feito em praças e rotatórias ou em vias de acesso.

CBS

Meu sonho pra Goiânia é ver a substituição da malha asfáltica nas vias de grande circulação, como na Av. 136 (Marista), Av. E (jd Goiás) e Rua 91 (St. Sul) principalmente, pois essas vias não aguentam mais remendos e chuvas. Parecem antigas estradas de paralelepípedos se soltando.