Obra de instituto de pós-graduação no Setor Jaó contraria moradores e é alvo de polêmica

Vereador afirma que construção está embargada, não possui alvará, autorização de uso de solo e nem aprovação de projeto por parte do Corpo de Bombeiros

Obra do instituto de pós-graduação do IBC no Setor Jaó | Foto: Fernando Leite

A obra do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) localizada na Avenida Professor Venerando de Freitas Borges com a Rua J-3, no Setor Jaó, onde será instalado um instituto de pós-graduação tem sido alvo de polêmica entre moradores da região, que são contra o empreendimento. Denúncias dão conta que a construção estaria sendo executada de forma irregular.

De acordo com o presidente da Comissão de Habitação, Urbanismo e Ordenamento Urbano da Câmara Municipal de Goiânia, vereador Carlin Café (PPS), a obra não possui alvará, não tem autorização de uso de solo e nem aprovação de projeto por parte do Corpo de Bombeiros.

“Nós inclusive já entramos pedindo a interdição dessa obra. O projeto inicial dava conta de que seriam construídas apenas duas salas de aula e hoje a construção já tem mais de mil metros quadrados”, afirmou.

Ainda segundo o parlamentar, a obra está embargada desde março deste ano, o que não impediu os serviços na construção, que já se encontra em fase de acabamento. A reportagem esteve no local e encontrou funcionários trabalhando na obra.

O vereador ressalta que a construção de um instituto de pós-graduação — que acarretará aumento no movimento do bairro  — contraria a vontade dos moradores do Jaó. “Os moradores estão extremamente revoltados. Imagina morar numa rua onde de repente surge uma obra desse porte sem nenhum estudo de impacto de trânsito nem de vizinhança.”

Jornal Opção entrou em contato com o Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) que, por meio de sua assessoria, respondeu apenas que a obra possui todas as documentações necessárias e que a construção não está embargada. A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Goiânia para saber se o empreendimento está ou não em conformidade com a legislação, mas não obteve retorno.

7 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Uliana

O embargo das obras pode ser verifacado pelos nunemros dos IPTUs. Está tudo no site da prefeitura, para quem quiser averiguar, não é necessário aguardar retorno da Prefeitura.

BRUNO

A comunidade do Setor Jaó questiona esta obra que foi embargada por quase dois anos e antes de terminar fizeram um evento com mais de 500 pessoas. Causando poluição sonora, carros estacionados por mais de 12 horas nas calçadas, nos canteiros , nos pontos de ônibus .Com atividades no Sábado e Domingo após as 22 h. Sendo que eles apresentam um projeto aprovado com duas salas de aula e o restante salas de reunião e escritório em uma edificação com mais de 1500 m².Muito questionável .

Caio José

Em 2014 eles disseram que a Faculdade era um boato, é isso seria administrativo. Não acredito mais no que dizem. Quem quebra a palavra não tem caráter.

Edson Ribeiro

A Associação de Moradores do Setor Jaó, tem buscado todas as formas para que irregularidades não surjam no Setor Jaó. Entretanto é necessário que o Poder Público Municipal seja mais eficiente tomando ” TODAS ” as medidas possíveis tais como Interdição de atividades pela falta ou desconformidade no Alvará de Funcionamento.
A Comissão de Urbanismo da Câmara tem ajudado e é preciso que o Ministério Público também busque cumprir sua função fiscalizadora.

Eng. Edson Ribeiro – Presidente da Amojao

José Carlos

Essa instituição tem demonstrado um total desrespeito para com os moradores do setor Jaó. Desde o começo com mentiras, afirmando que seria apenas uma sede administrativa, enquanto na verdade prepararam uma mega estrutura, trazendo diversos transtornos para os moradores. A prefeitura assiste a isso tudo sem mover uma palha. Dizem que a obra está embargada, mas eles fazem o que bem entendem e quando querem.

Ricardo

Obra visivelmente e completamente irregular. Não tem recuo, não tem estacionamento, muro de 4 metros de altura, etc. Rasgaram as leis e o plano diretor da cidade.

Giovanni Campos

O que deveria ser interditado, era o centro administrativo do Passo municipal , Projeto ruim , obra mal feita, não tem alvará do bombeiro, não é acessível a PNE , não tem alvará de conclusão de obra ou seja, tem todas as irregularidade contidas no do código de postura do município de Goiânia .