Contratações em Anápolis tem alta de 24,48% desde 2020, diz Novo Caged

Saldo entre admissões e demissões é positivo, com quase 4 mil novos empregados

DAIA | Foto: Reprodução

Entre tantas celebrações com o aniversário de 114 anos de Anápolis se aproximando, o município comemora os avanços no setor de serviços e o choque positivo de 4 mil empregados entre admissões e desligamentos de trabalhadores na cidade. Nos cinco primeiros meses de 2021, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), o crescimento de contratações em relação ao primeiro semestre de 2020 é de 24,48%.

O mesmo levantamento estima que entre os setores que mais cresceram, estão agropecuária (134,48%), comércio (34,36%), serviços (24,96%), construção (20,99%) e indústria (17,06%). Para o secretário de Industria Comércio Emprego e Renda, Marcos Abrão, as motivações para o crescimento são claras e perpassam tanto pela característica empreendedora dos anapolinos quanto pelo empenho da Prefeitura em aplicar políticas de qualificação, em um trabalho conjunto aos empresários.

“O que a gente precisa é fazer o que já estamos buscando: uma maior interlocução com a indústria para podermos qualificar os trabalhadores de acordo com o que o mercado quer, não de acordo com o que pensamos. Essa já é uma mudança de ponto de vista aqui da cidade de Anápolis”, explica o secretário, que ainda ressalta: “É um trabalho conjunto em que conversamos com as empresas sobre qual tipo de qualificação elas precisam e montamos cursos para qualificar as pessoas de acordo com o que eles precisam”.

O secretário relembra que, desde 2019, mais de 4 mil trabalhadores foram qualificados pelos programas de capacitação municipais. “Pela primeira vez os cursos ofertados estão casando com as vagas ociosas nas empresas”, observou o prefeito Roberto Naves.

Como exemplo, Marcos cita os Centros de Formação Profissional e o Centro de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia (CEITec), que contarão com instalações mobiliadas, com acesso à internet para que sejam desenvolvidos projetos em prol de solucionar problemas locais nas áreas de mobilidade urbana, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, entre outras. “Também vamos receber o Centro Tecnológico Ferroviário (CETF), que é uma iniciativa do Governo Federal em parceria com estados e municípios, além da expansão do DAIA”, menciona. A expansão do DAIA foi oficializada na última terça-feira, 27, através da transferência de áreas do Estado para a Codego. A área total de transferência é de 1.163.427,17 m². Lá, poderão ser instaladas até 100 novas indústrias, em prol da geração de novos empregos.

O CETF foi lançado recentemente e irá ocupar uma área de aproximadamente 4 mil metros quadrados. A iniciativa vai receber recursos das concessionárias de ferrovias no Brasil, depositados em um fundo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A expectativa é de que sejam investidos entre 10 e 20 milhões de reais deste fundo, para a implantação e manutenção da estrutura, com expectativa de atingirem os R$ 60 bilhões em 30 anos.

Como consequência, no início de 2021, dados da quinta edição do Índice de Cidades Empreendedoras, realizado pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) em parceria com a Endeavor, classificaram Anápolis entre as 100 melhores cidades para se empreender no território brasileiro. O município é uma das três únicas cidades goianas que apareceram na lista nacional e, no ranking geral, é o segundo colocado de Goiás (75º), ficando à frente de Aparecida de Goiânia (86º).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.