As medidas de isolamento para enfrentamento da pandemia da Covid-19 ocasionaram aumento de 30% no número de de acidentes domésticos registrados 

Foto: Reprodução

O presidente da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé (ABTPé), José Antônio Veiga Sanhudo, afirma: “É preciso tomar muito cuidado ao tentar imitar os desafios e brincadeiras lançados na internet, pois o que era para ser diversão pode acabar em lesões que, dependendo da situação, podem deixar sequelas”.

Segundo o representante da entidade, durante o período de quarentena, é natural que as pessoas procurem atividades dentro de casa para ocupar o tempo, como realizar pequenas mudanças ou reformas, arrumar objetos em móveis, praticar atividades físicas e aderir a brincadeiras da internet para se distrair, mas é preciso cuidado para não se machucar. 

O Diretor da Regional São Paulo da ABTPé, Danilo Ryuko Cândido Nishikawa, ressalta que queda e acidentes por instrumentos perfuro-cortantes acabam se tornando mais frequentes. “É preciso ficar atento, pois as quedas de altura podem causar lesões simples, como leves entorses do tornozelo, ou fraturas graves da tíbia, fíbula, calcâneo e metatarsos, que necessitem de tratamento cirúrgico”, explica. “A maior frequência do manuseio de instrumentos de cozinha ou de construção pode causar lesões nos tendões, nervos e vasos sanguíneos da mão, levando a consequências graves”, completa.

Crianças e idosos

José Antônio Veiga Sanhudo destaca que crianças e os idosos exigem atenção e cuidados redobrados dentro de casa. No caso do público infantil, com o confinamento, as crianças ficam mais agitadas e passam a explorar novos lugares na casa, colocando-se em risco. “A casa se torna o playground, o parque e a quadra de esportes. Com isso, podem ocorrer desde lesões menores, como imprensar o dedo nas portas e pequenas contusões, até fraturas do fêmur, tornozelo, cotovelo, mão e punho. Ficar de olho é a principal medida para protegê-las”.

Já os idosos, pelo avançado da idade, apresentam fraqueza muscular, piora do equilíbrio e fragilidade óssea, sendo mais suscetíveis a quedas dentro de casa, que podem ocasionar em fraturas do fêmur, punho e ombro. “É importante evitar tapetes e objetos pelo chão da casa, isolar pisos escorregadios, manter os ambientes iluminados e não subir em bancos, cadeiras ou escadas”, salienta Dr. Danilo. “Em caso de acidente, não hesite em procurar o pronto-socorro ortopédico”, conclui.