Novos presidentes da Funarte e do Ibram tomam posse

Com o objetivo comum de democratizar o acesso à cultura, Paulo Amaral e Miguel Proença assumem a gestão do Instituto Brasileiro de Museus e da Fundação Nacional de Artes

Da esquerda para a direita, secretário Henrique Pires, Paulo Amaral, ministro Osmar Terra, Miguel Proença e secretário adjunto da Cultura, José Paulo Soares Martins (Foto: Divulgação/Ministério da Cidadania)

Tomaram posse na manhã desta terça-feira (26) os novos presidentes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Paulo Amaral, e da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Miguel Proença, em cerimônia no Ministério da Cidadania, presidida pelo ministro Osmar Terra.

Durante a solenidade, Terra destacou a importância da democratização do acesso à cultura. “Acredito que essa trajetória que nós estamos fazendo agora, com esse nome de Ministério da Cidadania, tem acima de tudo o objetivo de democratizar ao máximo o acesso às artes e à cultura. A população tem que ter acesso, tem que se interessar, tem que ser motivada a buscar as atividades, espetáculos, exposições. A arte transforma a sociedade e nós temos que trabalhar em conjunto para que isso aconteça, gerando mais inclusão, desenvolvimento e diminuindo a desigualdade no País”, disse.

Presente na cerimônia, o secretário especial da Cultura, Henrique Pires, ressaltou que os novos diretores serão grandes parceiros para a gestão da cultura no País. “Hoje nós cumprimos mais uma etapa da nossa trajetória, dando posse a duas pessoas reconhecidamente importantes no cenário da cultura nacional, que ocuparão a presidência de duas importantes vinculadas: o Ibram e a Funarte”, disse.

Segurança nos museus
Engenheiro civil de formação, o artista plástico Paulo Amaral tem um extenso currículo na área da cultura. Foi diretor do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS) em três ocasiões: entre abril de 1997 e dezembro de 1998, período em que conduziu as definitivas obras de restauro do museu; de janeiro de 2003 a janeiro de 2007; e de 2015 a janeiro de 2019, quando deixou o cargo para unir-se à equipe do Ministério da Cidadania. Ele também já presidiu o Sindicato das Indústrias de Construção Civil no Rio Grande do Sul (Sinducon/RS) em 2000 e 2001, o que, de acordo com o secretário Henrique Pires, será de grande valia para todo o trabalho que é preciso ser feito em relação à segurança dos museus.

O novo diretor do Ibram demonstrou preocupação com a segurança patrimonial. “É um dos itens mais importantes na questão museal e necessita de um olhar crítico para resolver e mitigar os problemas”, afirmou. Paulo destacou a competência da equipe do Ibram, que considera muito qualificada, e agradeceu à secretaria interina, Eneida Braga, que vem conduzindo a instituição desde a saída do antigo presidente, Marcelo Araújo.

Educar o público para as artes
A Funarte poderá contar com a experiência de Miguel Proença (inserir link para o perfil de Miguel Proença, renomado pianista, que percorreu o Brasil e o mundo com seus concertos. Durante a cerimônia de posse, o presidente destacou situações jamais imaginadas que ocorreram ao longo de sua carreira relacionadas o feedback do público. “Uma vez toquei em um presídio, e disse a eles que iria lhes mostrar meu coração por meio da música. Eu me surpreendi quando um deles se levantou e veio até o palco para cantar, dizendo que há muito tempo não se sentia livre”, comentou.

Nesse sentido, o novo diretor da Funarte disse que já tem projetos em mente, entre os quais, transformar os teatros sob a gestão da fundação em casas do saber, centros de educação por meio da arte que oferecerão cursos, palestras e outras atividades ao público no período da manhã, o contraturno dos espetáculos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.