Novo projeto que impede aumento no IPTU deve ser votado na próxima segunda-feira (10)

Após prefeito recuar e retirar projeto da tramitação, nova matéria de vereadores será apreciada em plenário

Foto: Reprodução

A vereadora Sabrina Garcez (PTB) falou ao Jornal Opção que o projeto dos vereadores Elias Vaz (PSB), Lucas Kitão (PSL), e Alysson Lima (PRB), que visa revogar parágrafos da Lei que aprova a Planta de Valores Imobiliários de Goiânia para o exercício de 2016 e dá outras providências deve ser votado na próxima segunda-feira, 10, na Câmara Municipal de Goiânia, colocando fim à polêmica do possível aumento no IPTU.

O projeto tem conteúdo semelhante ao da emenda aprovada nesta quinta-feira 6, na Casa, que pedia a revogação do ponto que diz que “os deflatores (…) não se aplicam a imposto sobre imóveis incluídos no Cadastro Imobiliário da Secretaria Municipal de Finanças, a partir de 1 de janeiro de 2015”.

“Os vereadores já haviam protocolado esse projeto, mas a matéria do prefeito tinha preferência e por isso, foi julgada primeiro. Agora que foi retirada da pauta, vamos votar essa matéria que irá garantir com que os goianienses não tenham qualquer alteração no IPTU do próximo ano”, explicou a vereadora.

“Caso não tenha sucesso, também será realizado o julgamento próxima quarta-feira, 12, do recurso de iniciativa da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás no Tribunal de Justiça, que questiona a constitucionalidade destes incisos”, explica Sabrina.

O vereador Lucas Kitão (PSL) disse à reportagem que, “nossa recomendação aos contribuintes que não fizeram o recadastramento é que aguardem a votação do projeto de minha autoria de outros colegas vereadores e o recurso da OAB-GO na próxima semana. Pois eles irão garantir que a Prefeitura não aumente o IPTU. Não estamos de acordo com essa manobra que o prefeito Iris Rezende (MDB) tentou articular para onerar a cobrança de impostos no município”, afirmou o vereador.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.