Pedido de investigação e supostas mensagens do Padre Robson para irmã dele são fatos novos na Operação Verdilhões

O Ministério Público de Goiás pediu ao Tribunal de Justiça autorização para continuar a investigação do caso

Padre Robson | Foto: Divulgação / Divino Pai Eterno

Dia tumultuado na vida do padre Robson de Oliveira, que é investigado na operação Verdilhões. Nesta terça-feira, 11, o promotor de Justiça, Marcelo Freitas protocolou no Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), um pedido de autorização para avançar nas investigações do caso. A novidade é porque anteriormente o mesmo Ministério Público de Goiás (MP-GO), tinha desistido de pedir a reconsideração do TJ-GO, para continuar investigando o caso.

Mas este novo documento do MP-GO solicita ao presidente do Tribunal de Justiça, Walter Carlos Lemes, que revise a decisão tomada pelos desembargadores no ano passado. Decisão esta, que determinou o trancamento do recurso do Ministério Público e o qual pede que a discussão seja novamente aberta.

O padre e mais mais 17 pessoas se tornaram réus por lavagem de dinheiro, organização criminosa e apropriação indébita – dos recursos ofertados pelos fiéis da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe).

Além disso, nesta quarta-feira, 12, chegaram até a imprensa, supostas mensagens de que o Padre Robson teria pedido para a irmã dele destruir qualquer documento que pudesse o comprometer. As mensagens são de maio de 2019. A defesa do Padre Robson disse que as mensagens são montagens grosseiras e que devem ser desconsideradas, bem como deve ser punido quem as criou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.