Pré-candidato a deputado federal pelo MDB e seu avô, ex-senador Mauro Miranda, priorizaram municípios desta região do estado nas últimas viagens para encontros com políticos, lideranças e moradores

Felipe, Mauro e Rita de Cássia, prefeita de Itaberaí | Foto: Divulgação

Atração de novas indústrias e a consequente geração de empregos, apoio ao agronegócio e a defesa da cultura goiana formam o tripé que fundamentaram as reuniões políticas e os demais compromissos de Felipe Cecílio, pré-candidato do MDB a deputado federal, e o seu avô, ex-senador Mauro Miranda (MDB), por cidades da região Oeste de Goiás nos últimos dias.

Os dois emedebistas circularam por municípios como Baliza, Bom Jardim de Goiás, Buriti de Goiás, Diorama, Montes Claros de Goiás, Novo Brasil, Sanclerlândia, Santa Fé de Goiás. Outras cidades acabaram sendo acrescentadas à rota, como Damolândia, Itaberaí, Jussara e Piranhas.

“Os prefeitos conhecem bem as potencialidades das cidades que administram e quais as melhores estratégias para um trabalho que gere mais emprego e renda aos moradores”, sintetiza Felipe Cecílio. “Legislativo e executivo podem, juntos, discutir e viabilizar boas estratégias para atrair mais empresas”, sentencia o pré-candidato. “E por falar em empresas, há ações da iniciativa privada que podem ser replicadas na administração pública. Defendo que uma gestão pública eficiente seja sinônimo de um serviço público capaz de atender as demandas da população com a urgência necessária”, acrescenta o emedebista.

Via de regra, Felipe Cecílio e Mauro Miranda encontraram-se com prefeitos, vice-prefeitos, secretários municipais, vereadores, lideranças políticas locais – em especial as do MDB –, representantes de entidades de classe e moradores.

Agronegócio e cultura
Em cidades como Jussara, Montes Claros e Santa Fé de Goiás, o agronegócio goiano pautou grande parte das conversas. “Não há agronegócio tão eficiente, produtivo e moderno quanto o do Centro-Oeste. Queremos que nossos produtores produzam mais e melhor, agregando valor a seus produtos. E todo agente político em Goiás tem por ‘obrigação’ colaborar com este processo”, diz Felipe.

Ele e o avô, Mauro Miranda, também fizeram questão de irem a Bom Jardim de Goiás, onde participaram de uma cavalgada, e a Damolândia, a “capital dos carros de boi”, onde foi celebrada missa para abençoar os carreiros com destino a Trindade, a “capital da fé”. “São tradições do nosso estado que merecem todo nosso apoio e reconhecimento. É a nossa história ‘viva’. Como é bom ver nossa cultura pulsando desta forma, principalmente depois de dois anos de pandemia, quando estava tudo suspenso”, comemorou Felipe.