Notícia de americana que implantou terceiro seio pode ser falsa

Na internet, que por vezes é considerada um território livre, surge notícias inusitadas que geralmente são falsas, ou “fakes”

Assunto que vem mobilizando as redes sociais desde o começo desta semana, uma americana de 21 anos que implantou um terceiro seio para “espantar os homens”, pode ser uma fraude. A história, como sendo verdadeira, foi noticiada por veículos de imprensa no mundo todo. No entanto, nessa terça-feira (23/9) o tabloide britânico Daily Mail divulgou que o site Snopes, conhecido por desmentir rumores da internet, identificou a jovem como Alisha Hessler e não como Jasmine Tridevil.

No facebook, Jasmine Tridevil admitiu que usou um nome falso para divulgar a suposta cirurgia. “Todos ficam me mandando a reportagem do Snopes. Por quê? Sim, eles têm meu nome verdadeiro”, disse.

A cirurgia, aparentemente, foi uma invenção da americana. Alguns jornais divulgaram um documento datado de setembro, no qual ela reclamava que sua bagagem havia sido perdida no Aeroporto Internacional de Tampa, na Flórida. Entre os itens perdidos estava “uma prótese com três seis”.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Prado Neto, é impossível que o caso seja verdade. “Pois contraria os princípios médicos, éticos e anatômicos. As fotos postadas pela moça também não mostravam nenhuma cicatriz na região pré-esternal (entre os seios)”, salientou.

Na internet, que por vezes é considerada um território livre, surge notícias inusitadas que geralmente são falsas, ou “fakes”. No início deste mês, por exemplo, circulou entre internautas a história de um relacionamento homossexual entre mãe e filha. Depois que diversos sites e blogs divulgaram o conteúdo como verdadeiro, veio à tona que as informações eram falsam e que haviam sido publicadas, inicialmente, por um site que posta notícias falsas em busca de acesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.