“Nosso objetivo é fazer da Celg a melhor distribuidora de energia do país”, diz Enel

Responsável global de infraestrutura da afirmou que a empresa italiana aumentará investimentos e modernizará rede

Divulgação

O governo de Goiás e a Enel Brasil assinaram, na tarde desta terça-feira (14/2), a transferência acionária da Celg D, em solenidade no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Esta é a última etapa do processo de privatização da distribuidora de energia do estado, que foi vendida por R$ 2,187 bilhões e passará a ser controlada pela Enel nos próximos meses. Detentor de 49% das ações, o governo local deve receber aproximadamente R$ 850 milhões, recurso que será utilizado para investimentos em infraestrutura, saúde e educação.

Durante discurso, o responsável global de infraestrutura da empresa italiana, Lívio Gallo, afirmou que o objetivo, agora, é aumentar os investimentos e modernizar a rede de distribuição. “Identificamos em Goiás uma grande oportunidade, é uma região de grande crescimento. Nosso objetivo é fazer da Celg a melhor rede de distribuição de energia do Brasil. A número um”, garantiu.

O governador Marconi Perillo (PSDB) disse que em breve a população de Goiás vai perceber os investimentos da Enel e sentir a melhoria no fornecimento de energia. “Temos certeza que vamos viver nova página da energia em Goiás. À medida que os benefícios aparecerem, a população vai perceber que esta privatização deveria ter sido realizada antes”, ponderou.

Em entrevista coletiva, após assinar o contrato com a multinacional, o governador destacou, ainda, que uma das metas para o início da nova gestão da distribuidora é discutir a universalização da energia elétrica no meio rural.

Representantes da Enel afirmaram ainda ser cedo para definir um cronograma de investimentos, ou desenhar um mapa de prioridades no Estado, mas garante melhorias no sistema elétrico goiano já para 2017.

Celg

Fundada em 1956 e com sede em Goiânia, a Celg (que atualmente é subsidiária da Eletrobras) atua em um território que cobre mais de 337 mil km² por meio de uma concessão que é válida até 2045. A venda da estatal é parte do processo de privatização de ativos lançado pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB).

O mercado da Celg inclui 237 municípios com uma população de 6,2 milhões de pessoas. A base de clientes, de 2,9 milhões, é atendida por meio de uma rede de mais de 200,8 mil quilômetros.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.