No fim do mandato, prefeito de Águas Lindas foca em conter gastos para próxima gestão

Hildo do Candango falou ao Jornal Opção sobre a possibilidade de eleger um sucessor no município

Foto: Reprodução

O presidente da Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília (Amab) e prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango, em entrevista ao Jornal Opção, falou sobre como vem conduzindo sua administração nessa reta final da gestão. O prefeito, que está em seu segundo mandato, falou também sobre as expectativas para as próximas eleições, e a possibilidade de eleger um sucessor.

Jornal Opção: Prefeito Hildo, sabemos que essa campanha será decisiva nos municípios e em Águas Lindas não é diferente. O senhor como prefeito pensa em fazer um sucessor de sua gestão?

Hildo do Candango: Claro, justamente por ser uma transição tão importante para nossa cidade que segue em um caminho de desenvolvimento, penso que nossa gestão tem bagagem, tem experiência, tem trabalho para mostrar e principalmente tem credibilidade com a população e comprometimento com o futuro da cidade para fazer um sucessor. E também devemos levar em conta que na última eleição lançamos um candidato faltando 40 dias para o fim da eleição e mesmo sem muita divulgação esse candidato conseguiu 10 mil votos dentro de Águas Lindas e o outro candidato que foi apoiado pela outra parte do nosso grupo político também conseguiu 10 mil votos na cidade. Ou seja, com todo o grupo apoiando o mesmo candidato temos muitos votos, e isso é muito importante. Temos um grupo político forte e que precisa ser respeitado.

“Na educação, construímos uma escola padrão e dobramos o número de salas de aula aumentando o número de alunos”

Jornal: Já há algum nome especulado para isso?

H.C: Bom, creio que citar apenas um nome seria injusto até porque a verdade é que nossa cidade hoje conta com vários nomes que fariam um bom trabalho como gestor municipal. Temos o presidente da Câmara, Rogemberg Barbosa, Giovanne Machado, que tem feito um importante trabalho como secretário de Habitação junto à regularização fundiária de vários imóveis da cidade, Anderson Teodoro, que é secretário de Agricultura, os vereadores professor Silvério e Evandro do Rainha da Paz e o nosso vice-prefeito Luís Alberto Jiribita, que tem sido um grande parceiro neste projeto. Realmente trabalhamos juntos por esta cidade. Todos eles têm experiência, responsabilidade e têm trabalhado lado a lado com a gestão para levar Águas Lindas a um novo nível de desenvolvimento. E também não está descartada uma composição com os candidatos Dr. Lucas e Túlio. É importante ressaltar que uma composição da base tanto com o Dr. Lucas como com o Túlio definiria a eleição.

Jornal: Quanto à experiência e trabalho destes secretários, quais ações desenvolvidas por estas secretarias você acha que transforma estes nomes em bons sucessores?

H.C: Não conseguiria responder a isso sem citar o trabalho que cada secretário desempenhou ao longo destes mandatos. Na saúde saímos de cinco postos de saúde para 20 e quando assumimos estes postos eram em prédios alugados. Hoje estamos construindo unidades próprias, o que garante conforto e segurança aos servidores e à população e ainda economia aos cofres públicos. Na educação, construímos uma escola padrão e dobramos o número de salas de aula aumentando o número de alunos. O município que antes tinha 200 salas passou para 400, ou seja, o que os outros prefeitos fizeram em 18 anos nós fizemos em um único mandato. Cada secretaria tem trabalhado e entregado excelentes resultados e este trabalho unido à responsabilidade, comprometimento e transparência são características essenciais a um gestor.     

Jornal: Ultimamente temos visto a população falar muito em renovação, em apostar no novo. O senhor vê isso como algo que pode prejudicar essa transição de governos?

H.C: Fazer um comparativo entre novo versus experiência é sempre complicado, porque ambos têm suas vantagens e cabe a nós percebermos em qual situação cada um é melhor aplicado. Mas quando falamos em um cenário político analisando de maneira geral as últimas escolhas que fizemos baseadas em ideologias e preferências pessoais não tem dado muito certo. E quando tomamos uma decisão em esfera política muita coisa está em jogo e pensar coletivamente é essencial, porque estamos escolhendo o destino de toda uma comunidade, mas acredito que a força do trabalho, da responsabilidade influenciará os eleitores a fazerem a escolha mais sensata.

Jornal: Quando falamos sobre o trabalho desenvolvido na cidade qual o senhor pensa ser a maior conquista da gestão?

H.C: Nossa, é até difícil responder, porque quando assumimos nosso primeiro mandato tanto precisava ser feito … e ainda precisa. Nossa cidade é jovem e ainda tem muito a conquistar, mas quando lembramos de todas as carências do nosso município naquela época penso que cada conquista, até as mais simples, se tornaram grandes vitórias, porque traçamos desde aquele momento o caminho que tem conduzido Águas Lindas a essa estrada de desenvolvimento contínuo. Mas depois que demos o pontapé inicial fizemos coisas importantes como obras de pavimentação asfáltica dos bairros, ampliação das escolas e da rede de saúde.      

“É claro que precisamos de policiamento e outras medidas, mas isto por si só não resolve o problema”

Jornal: E qual foi a estratégia adotada pela gestão para que estas ações saíssem do papel?  

H.C: Primeiro precisávamos nos organizar financeiramente, porque assumimos um município com muitas dívidas, sem credibilidade e sem recursos. Então traçamos metas e começamos um trabalho de organização muito grande para tirar a cidade do vermelho e reconquistar a credibilidade junto aos ministérios e demais órgãos para que a gente conseguisse colocar os projetos em prática. Também tive ao meu lado uma equipe brilhante de secretários e servidores que realmente abraçaram a causa e trabalharam com garra para mudar a história da cidade.

Jornal: Acompanhamos o desenvolvimento de Águas Lindas, mas sabemos que assim como outras cidades do Entorno o quesito segurança ainda precisa ser trabalhado. E com o caso recente do professor, mais uma vez todos os olhos se voltaram para o município. O que o senhor acha da segurança na cidade e deste caso em específico?

H.C: Nossa cidade já enfrentou diversos períodos difíceis ao longo desses mais de 20 anos, mas o município deixou de ser conhecido como um dos mais violentos do Entorno. Antes ocupávamos a 1° posição, agora somos a 80°. É claro que ainda precisamos melhorar, mas para uma cidade tão jovem comparada às nossas vizinhas do Entorno já avançamos muito. No caso do assassinato do professor, acho que é um problema que infelizmente não ocorre apenas em Águas Lindas, mas em todo o País e várias outras partes do mundo. É um problema que vai além da violência, é a falta de respeito, a inversão de valores. É mais um problema de construção social do que de segurança. É claro que precisamos de policiamento e outras medidas, mas isto por si só não resolve o problema.

Jornal: E quais foram as ações que as gestões realizaram para que o município saísse da primeira posição como mais violento da região?

H.C: Mudar um contexto social é tão importante quanto o policiamento e as outras medidas de segurança, porque mais do que combater a criminalidade precisamos também impedir que os nossos jovens tenham acesso a este cenário de violência gratuita. Então o que fizemos foi unir forças e realizar conjuntos de ações tanto em prevenção quanto em combate à criminalidade. Mais do que aumentar o efetivo policial, investimos em infraestrutura como a pavimentação asfáltica, assim as viaturas conseguiram ampliar a área de atuação, investimos em iluminação para garantir segurança aos moradores, buscamos desenvolver ações culturais e esportivas nas escolas e centros sociais, apresentando aos jovens uma realidade que as afasta de envolvimento com atividades ilícitas e más influências.     

“Neste ano já estamos ensaiando a transição para 2020 entre esta gestão e a próxima que virá”

Jornal: Prefeito, não podemos deixar de perguntar o que pensa sobre a comparação do ex-candidato Túlio sobre a sua gestão?

H.C: Na verdade quando analisamos a declaração do Túlio eu não acho que ela tenha um efeito negativo, porque ele não me comparou com outros gestores. Ele comparou meu atual mandato com meu primeiro mandato, então no fim estou competindo contra mim mesmo, ou seja, com isso ele acaba afirmando que a única gestão digna de uma comparação que mostrasse o quanto foi feito por essa cidade foi a minha própria gestão.

E realmente na primeira gestão fizemos muito, mas neste mandato também temos trabalhado e o resultado é que iniciamos agora a pavimentação asfáltica de 16 bairros da cidade, estamos construindo novas creches e novas unidades básicas de saúde. Recebemos uma cidade com 17% de asfalto e estamos entregando ela com quase 85% de asfalto e vamos trabalhar até o último momento para talvez alcançar os 100%. Das pouco mais de 200 salas de aula que a cidade tinha duplicamos esta capacidade, construímos creches, transformamos a pior escola da cidade em uma escola modelo, aumentamos a capacidade de atendimento em saúde e hoje as UBS tem sede próprias. Trabalhamos para mudar a história e deixar um legado e para garantir que este não será o fim do desenvolvimento da cidade.

Jornal: Nesta reta final qual tem sido o foco da sua gestão, prefeito?

H.C: Nosso foco (meu e de toda a equipe) tem sido concluir as obras que iniciamos como a pavimentação asfáltica nos setores e também garantir que o próximo gestor, seja ele da base ou não, encontre a máquina em plena capacidade de funcionamento, com as contas em dia, equipamentos funcionando e por isso neste ano já estamos ensaiando a transição para 2020 entre esta gestão e a próxima que virá.

“Não deixando dívidas para o próximo gestor, renovamos toda a frota assim ele não terá os mesmos problemas que tivemos em 2013 quando assumimos”

Jornal: Como tem sido realizado este trabalho de transição do próximo ano?

H.C: Na verdade, neste ano já temos feito um ensaio para esta transição que consiste em diminuir as despesas, conter gastos e para isso todos os secretários assinaram um termo de compromisso e todas as secretarias têm trabalhado com uma margem de gastos, porque entendemos a importância de iniciar uma gestão com o município com as contas em dias, tendo a liberdade de trabalhar com afinco e focar em outra coisa que não sejam as dívidas e a aquisição de novos equipamentos que não estejam sucateados. Então todas as dívidas que assumimos ao iniciar a gestão foram parceladas para serem pagas durante nosso governo, não deixando dívidas para o próximo gestor, renovamos toda a frota assim ele não terá os mesmos problemas que tivemos em 2013 quando assumimos.

“Com a transição entre governos, esperamos que a cidade e os demais municípios do Entorno não sejam afetadas negativamente”

Vale lembrar que Águas Lindas é uma cidade com pouco mais de 20 anos, mas nos últimos anos tem se destacado pelas obras de desenvolvimento que garantiram a cidade títulos como a de maior município em número de obras em execução, município que mais se desenvolveu em um curto período de tempo na região. Ganhou prêmios relacionados a qualidade da merenda oferecida nas escolas municipais e até se destacou entre municípios do país inteiro quanto ao índice de desenvolvimento na educação. Com a transição entre governos, esperamos que a cidade e os demais municípios do Entorno não sejam afetadas negativamente. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.