“Nós, da Fieg, acreditamos na Enel”, diz Sandro Mabel

Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás deu a declaração em encontro voltado a empresários interessados em participar de programa fruto de parceria com a distribuidora

Sandro Mabel | Foto: Alex Malheiros

Nesta segunda-feira, 9, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG), Sandro Mabel, participou do 2º Encontro da Cadeia da Construção, na Casa da Indústria, voltado a empresários interessados em participar do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, por meio da parceria Fieg-Enel.

O presidente destacou o objetivo da distribuidora de energia de investir cerca de R$ 4 bilhões até 2023 em Goiás. “Nós, da Fieg, acreditamos na Enel e trabalhamos para formar alunos sob medida para nossos acionistas e para capacitar os melhores fornecedores para essa empresa, que adquiriu a sucateada Celg e traçou um grande plano de investimento em Goiás”, disse Mabel.

O presidente da Câmara da Indústria da Construção da Fieg (CIC), Sarkis Curi, disse que a importância do programa é, justamente, “preparar as indústrias goianas que fazem rede, subestações, que produzem insumos e serviços, de acordo com normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e com normativo interno da companhia”.

“Nosso desafio – Fieg, Senai, Sesi, IEL e ICQ – é capacitar essas empresas e seus trabalhadores para produzirem produtos e serviços que atendam a essas exigências. Assim, esses recursos vultuosos ficarão nas empresas goianas, gerando empregos aqui e não fora de Goiás”, acrescentou.

Enel

O presidente da Enel Goiás, José Luis Salas, também estava no evento e disse que o investimento total no país para os próximos três anos será de R$ 24 bilhões. Segundo ele, cerca de 17% será destinado a Goiás nos próximos quatro anos.

“Assumimos um sistema que está cobrando o que deixou de ser investido nele durante os anos. E estamos investindo 3,5 vezes mais do que havia sido investido nos últimos dez anos. Estamos aumentando nossa capacidade e mudando toda a parte tecnológica e queremos que estes R$ 4 bilhões que investiremos nos próximos quatro anos fiquem em Goiás. Por isso, é importante termos fornecedores qualificados aqui e iniciativas como este evento são de suma importância para que isso ocorra”, afirmou Salas.

Programa

O Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF Goiás), do IEL Goiás, completou 20 anos de atuação em Goiás, com mais de 700 empresas atendidas neste período. O Instituto levantou os requisitos da Enel – segurança, qualidade e inúmeras normas a serem seguidas – para saber o que uma empresa precisa ter para prestar serviço para a empresa de energia. Assim, foi formatado um plano de desenvolvimento das empresas goianas que têm interesse em prestar serviços para a Enel e que foram convidadas para o evento desta tarde.

“Levantamos os segmentos das empresas de acordo com as demandas da Enel e estamos fazendo, hoje, um primeiro momento com eles para que conheçam e vejam se é interessante para eles se prepararam para fornecerem produtos ou serviços para a Enel. A partir daí, montaremos um grupo para desenvolvimento desses fornecedores”, explicou a gerente de desenvolvimento empresarial do IEL Goiás, Sandra Márcia Silva.

Senai e Sesi preparam profissionais qualificados para o trabalho especializado nas empresas, enquanto o ICQ Brasil e o próprio IEL cuidam das certificações exigidas para as empresas.

Polêmica

O momento no Estado, no entanto, é de insatisfação política com a Enel. O governador Ronaldo Caiado (DEM) já disse que se encerraram as chances de negociação. Na Assembleia Legislativa de Goiás tramita um projeto de Lei para rescindir o contrato de venda para a Celg D, de autoria do líder do Governo, Bruno Peixoto (MDB), e do presidente da Casa, Lissauer Vieira.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.