“Nos assustou tamanha a estrutura montada”, diz fiscal que interrompeu festa clandestina em Goiânia

Agentes da Guarda Civil Metropolitana e Amma impediram continuidade de festa com mais de 500 pessoas na madrugada deste sábado. Proprietário de chácara terminou multado em mais de R$ 50 mil

Foto: Reprodução de vídeo

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) e a Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) interromperam a continuidade de uma festa, denominada pelos organizadores como festa “A Clandestina”, na madrugada deste sábado, 29, no residencial Buena Vista, em Goiânia.

O evento reunia aproximadamente 500 pessoas que foram encontradas pelas autoridades aglomeradas e sem máscaras de proteção facial. Os agentes tomaram conhecimento da festa a partir de uma denúncia oferecida à GCM. Ao chegarem no local, muitos fugiram pelo mato.

Foto: Reprodução de vídeo

“Nos assustou tamanha a estrutura montada para realização do evento”, relatou o gerente de fiscalização da Amma, Diego Moura. Segundo ele, o evento foi planejado com antecedência e organizado através de grupos de WhatsApp.

“Ficamos estarrecidos. Isso representa um afronta ao nosso trabalho. As pessoas estavam ali sem qualquer cuidado, ou seja, o vírus poderia se espalhar facilmente e assim atingir, mais tarde, uma série de outras pessoas não relacionadas ao evento”, disse.

O proprietário da chácara foi multado em R$ 50 mil e teve o imóvel embargado até o fim da vigência dos decretos do Governo de Goiás. “A multa aplicada é alta e tem justamente a intenção de inibir e alertar a população sobre a gravidade desse tipo de evento em meio a uma pandemia”, explicou o fiscal.

Segundo Diego, além desse, outros 14 pontos foram alvos de fiscalização ao longo da mesma noite. “Estamos trabalhando 24h por dia, especialmente nos finais de semana. Temos recebidos muitas denúncias quanto a perturbação do sossego público. É importante que as pessoas denunciem nos telefones 161, da Amma, ou 153, da GCM, para que possamos agir rápido e conter a disseminação da Covid-19 em encontros como esse”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.