No último ano da gestão de Iris, Goiânia alcança maior investimento do Centro-Oeste

Goiânia é a única cidade do Estado a figurar no ranking dos 50 maiores investimentos de 2020. Capital ocupa a 13ª posição na lista nacional

O ex-prefeito Iris Rezende (MDB) fechou o último ano da gestão garantindo a Goiânia o primeiro lugar no ranking de investimentos do Centro-Oeste e a 13° posição na lista nacional, de acordo com o anuário Multi Cidades – Finanças do Municípios do Brasil, divulgado nesta terça-feira, 14. Apesar da pandemia do Coronavírus (Covid-19), o poder público investiu na Capital R$ 400.369 milhões. Em termos comparativos, em 2019 foram destinados à melhoria da cidade R$ 335.054 milhões. Nos dois últimos anos, o emedebista, falecido no dia 9 de novembro por complicações de decorrente de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), investiu em Goiânia R$ 735,4 milhões.

A meta de Iris era ultrapassar a casa do R$ 1 bilhão em investimentos nos dois últimos anos de mandato, depois de equilibrar as contas do município. Quando o emedebista assumiu a gestão, em 2017, Goiânia tinha um déficit mensal de quase R$ 31 milhões e mais de R$ 1 bilhão em dívidas. No entanto, o impacto socioeconômico da pandemia inviabilizou o alcance do objetivo e a conclusão de todas as obras. Mas, além de zerar as dívidas e de fazer de Goiânia uma cidade superavitária, a administração de Iris Rezende, de acordo com Relatório de Gestão Fiscal referente ao 6º bimestre de 2020, deixou no caixa R$ 1,027 bilhão disponível para a gestão assumida por Rogério Cruz (Republicanos), após o falecimento do prefeito eleito Maguito Vilela (MDB) no caixa da Prefeitura. Ao longo dos quatro anos da gestão de Iris, ainda segundo o Multi Cidades, o investimento em Goiânia foi superior a R$ 938.837 milhões.

Além de Goiânia, o anuário mostra que Rondonópolis (MT) e Campo Grande (MS) também se destacaram entre as 466 cidades da região Centro-Oeste. As três foram as que mais investiram em obras e melhorias. A pesquisa resultada de iniciativa da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), com patrocínio da Huawei e da Tecno It, que ranqueou 100 cidades da região. O estudo levou em consideração os números consolidados de 2020.

Na capital goiana, o valor investido, em 2020, foi de R$ 400,36 milhões, já considerando a correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em Rondonópolis (MT), a despesa com obras públicas e melhorias atingiu os R$ 197,64 e em Campo Grande (MS), o total investido foi de R$ 188,74 milhões.

Brasil

Em cenário geral, mesmo diante da crise sanitária e econômica causada pela pandemia, os investimentos das cidades brasileiras foram de R$ 65,67 bilhões no ano passado. O valor foi direcionado para infraestrutura nos municípios, além de ser 33,7% maior que o registrado no ano anterior, já considerado a correção pelo IPCA. Com isso, o total investido representou 9,1% do conjunto das despesas – o mais elevado percentual dos últimos seis anos.

De acordo com Tânia Villela, economista e editora do anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios do Brasil, o desempenho positivo dos investimentos em 2020 pode ser creditado, principalmente, a três fatores. “O ano de 2020 foi o último de mandato nas prefeituras, fase na qual normalmente há uma expansão das aplicações. Também houve crescimento nas três principais fontes de recursos que são destinadas aos investimentos, que são os recursos próprios, as transferências de capital recebidas da União e dos estados e as receitas de operações de créditos”, esclareceu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.