No Rio, Polícia Federal busca joias de Cabral e Adriana Anselmo

De acordo com investigações da policia, peças foram usadas para lavar dinheiro de propina. Até agora, apenas 40 foram encontradas

A Polícia Federal no Rio de Janeiro cumpre, na manhã desta sexta-feira (23/6), dois mandados de busca na capital fluminense para tentar encontrar joias da ex-primeira dama do estado, Adriana Anselmo, que teriam sido usadas para lavagem de dinheiro. Não se sabe o paradeiro de 149 peças do total de 189 compradas no esquema comandado seu marido, o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB).

Os mandados são para buscas em dois endereços, ambos na zona sul do Rio: Um, na casa de ex-governanta do casal; e outro, na casa da irmã de Adriana, Lucia Mansur. Cabral é réu por lavagem de dinheiro por terem comprado joias sem nota fiscal e certificação nominal, todas em dinheiro vivo.

A denúncia do Ministério Público Federal (MPF) é de que o dinheiro lavado veio de propina obtida junto a empreiteiras para que elas ganhassem contratos de obras no Rio entre os anos de 2007 e 2014. Entre as joias, há pelas de ouro e com pedras preciosas diversas, como diamante e turmalina. Segundo as investigações, o casal chegou a gastar em um só brinco, por exemplo, R$ 1,8 milhão.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.