No primeiro dia de nova tarifa, reclamação e desconhecimento

Passagem de ônibus na capital já é vendida a R$ 3,30. Reajuste foi de quase 18%

Com o valor de R$ 3,50, tarifa de Goiânia é a 3ª mais cara do Brasil | Foto: Fernando Leite

Com o valor de R$ 3,50, tarifa de Goiânia é a 3ª mais cara do Brasil | Foto: Fernando Leite

Usuários do transporte coletivo da capital goiana que saíram de casa nesta segunda-feira (16/2), em pleno carnaval, tiveram uma surpresa ao utilizar o serviço. O reajuste tarifário de quase 18%, anunciado na última sexta-feira (16/2), pegou muitos passageiros de surpresa. Para quem já sabia da novidade, a indignação não foi menor.

“Esse aumento vai acabar pesando no final do mês. Tenho que comprar remédio para pressão alta e fica cada vez mais difícil.” O desabafo é da faxineira Maria Conceição de Jesus, de 60 anos. Recém-aposentada, ela relatou à reportagem, enquanto aguardava seu ônibus no Terminal Praça da Bíblia, acerca da precariedade do transporte coletivo da capital.

“Sempre muito cheio e demora muito. Tem vez que você fica no ponto durante muito tempo. Então, esse aumento de 50 centavos foi muito alto. O salário mínimo não aumentou quase nada e o que podemos fazer? A gente nem pode falar nada, porque vai aumentar de um jeito ou de outro mesmo”, lamentou.

“Parece não ser muita coisa, mas, ao final, pesa bastante no orçamento", diz o jovem Vinícius Tavares l Foto Marcelo Gouveia

“Parece não ser muita coisa, mas, ao final, pesa bastante no orçamento”, lamenta o jovem Vinícius Tavares l Foto Marcelo Gouveia

O auxiliar financeiro Vinicius Tavares, de 21 anos, também se mostrou insatisfeito com o novo valor cobrado, o qual define como “abusivo”. “Parece não ser muita coisa, mas, ao final, pesa bastante no orçamento. Fora as más condições do nosso transporte em que a situação é cada dia mais precária e os ônibus estão sempre lotados”, constatou o jovem.

Já a atendente Marlene Morais, de 40 anos, contou que não havia ouvido falar sobre a nova tarifação até o momento em que teve que comprar a passagem, logo no início da manha desta segunda-feira. Para ela, faltou transparência por parte gerência do transporte coletivo da capital.

“Trabalho das 9 às 9 e não sei se o erro foi meu ou dos responsáveis por ser tão em cima da hora”, disse a atendente ao descobrir que o aumento foi anunciado apenas a três dias antes do novo preço entrar em vigor.

Marlene não foi a única a ser pega de surpresa na hora de comprar o bilhete para o ônibus. De acordo com um vendedor autônomo de SitPass, que preferiu não se identificar à reportagem, o desconhecimento tem sido geral. Ele lembra, ainda, que, por ser carnaval, a situação está tranquila, mas prevê tumulto na quinta-feira (19). “Depois que esse feriado acabar que as coisas complicam”, explicou.

Reajuste

Nos terminais de ônibus, os valores já foram atualizados. A tarifa para o Eixo Anhanguera permanece a metade da tarifa comum  Foto: Marcelo Gouveia

Nos terminais de ônibus, os valores já foram atualizados. A tarifa referente ao Eixo Anhanguera permanece a metade da passagem comum l Foto: Marcelo Gouveia

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) anunciou o reajuste no início da tarde da última sexta-feira. A passagem de ônibus, que antes custava R$ 2,80, passou a custar R$ 3,30, um aumento de quase 18%.

Conforme levantamento feito pelo Jornal Opção Online, o preço cobrado em Goiânia passou a ser o terceiro maior do país. A capital fica atrás apenas do Rio de Janeiro (R$ 3,40) e São Paulo (R$ 3,50).

O inesperado aumento causou revolta nas redes sociais e grupos começaram a se organizar para a realização de protestos.  O primeiro deles deve ocorrer na próxima sexta-feira (20), com concentração na Praça Universitária, às 16h30. No Facebook, quase duas mil pessoas já confirmaram presença no evento.

Também está marcada para esta terça-feira (17) uma reunião organizada pela Frente de Luta-GO para tratar do tema e elaborar uma possível agenda de manifestações.

“Se você não aceita esse aumento e esta interessado em lutar contra esse abuso, chame seu amigos e vizinhos, e venham ajudar a construir a luta contra a máfia do transporte”, diz uma publicação na página do grupo no Facebook.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.