No primeiro dia após decreto, prefeitura concentra ações de fiscalização na Região da 44

Ideia é primeiramente garantir o fechamento total do comércio na região mais crítica da cidade. A partir de amanhã as equipes serão diluídas em outros pontos estratégicos

Apesar da assinatura do decreto que determina o fechamento do comércio na capital, diversos pontos foram flagrados funcionando a pleno vapor nesta manhã / Foto: Jornal Opção

Apesar da determinação do prefeito Iris Rezende (MDB), via decreto, o comércio em grande parte da capital continua aberto. Diversos estabelecimentos foram flagrados, na manhã desta quarta-feira, 1, aem pleno funcionamento.

Questionada sobre o assunto, a prefeitura de Goiânia, por meio da Central de Fiscalização e Combate à Covid-19, disse que o por se tratar de uma determinação publicada ontem, é natural que nem todos obedeçam já no dia seguinte. No entanto, assegurou que as fiscalizações serão realizadas por toda a cidade, especialmente nos próximos dias.

“Hoje entramos em campo com a equipe de fiscalização em peso na região da 44, que é uma região onde estamos enfrentando muitos problemas. A ideia é garantir, primeiro, o fechamento total dessa região. A partir de amanhã [quinta-feira, 2] é que começaremos a distribuir essas esquipes em toda a cidade. Aqui, [Região da 44] nosso objetivo foi alcançado”, disse o coordenador da equipe de fiscalização da prefeitura de Goiânia, Dagoberto Costa.

Vale lembrar que o governador Ronaldo Caiado (DEM) se comprometeu empenhar o apoio da Polícia Militar de Goiás (PMGO) nas ações de fiscalização das prefeituras que resolveram acatar as recomendações feitas pela Universidade Federal de Goiás (UFG) acerca do isolamento social e fechamento do comércio. Isso, segundo Dagoberto, tem sido cumprido e a Polícia Militar tem atuado como parceira nessas operações.

Ele reforça que as denúncias podem ser registradas via o aplicativo “Prefeitura 24h” e que será, por meio dele, que as esquipes de fiscalização serão norteadas. “Faremos também ações de rotina em toda cidade, mas é muito importante que essas denúncias sejam registradas para que possamos conhecer as regiões de maior incidência”, argumenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.