No Nordeste goiano, moradores se arriscam em escada para ponte

A cena ganhou repercussão nas redes sociais – há uma semana goianos do norte e nordeste do Estado enfrentam chuvas fortes 

Um vídeo gravado por uma mulher mostra o momento em que moradores do município de Formoso, regiao Norte de Goiás, se arriscam utilizando uma escada para passar por ponte da GO-241, que está sem cabeceira. Durante o trajeto, eles passam com sacolas, mochilas e até crianças, colocando a vida delas em risco.

A cena foi publicada nas redes sociais, e ganhou repercussão, já que há uma semana os goianos do norte e nordeste estão enfrentando chuvas fortes e volumosas que têm causado estragos, e isolamento em comunidades como quilombolas e outros moradores da zona rural.

Ao ter conhecimento da situação, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) emitiu nota. O orgão informou que o local está interditado e que a orietação é usar a “GO-244, entre Porangatu e Trombas, que já foi liberada para o tráfego, como rota alternativa”.

Também de acordo com a Goinfra, serão necessários 20 dias de obras no local para restaurar a cabeceira da ponte, mas que a medida depende das chuvas cessarem.

Valdir José Das Neves Júnior é comerciante e morador da cidade e disse que há cerca de uma semana as pessoas estão se arriscando para passar a pé no local. De acordo com ele, até quinta-feira ainda tinha uma parte da cabeceira da ponte, mas ela acabou de cair após a avó dele passar.

“Terminou de cair ontem. Minha avó ia para Goiânia, então levamos ela na ponte e outro parente ficou do outro lado aguardando. Assim que ela passou terminou de desabar”, contou.

Segundo ele, o mesmo tem sido feito com carregamentos de cargas e transporte de passageiros. “Vem ônibus de Porangatu ou Goiânia, encosta na cabeça da ponte, desce todo mundo e entra no ônibus que fica aguardando do outro lado da ponte. Estamos tendo que fazer isso com mercadoria há uma semana”, disse.

Isolamento

Cerca de 1 mil famílias estão isoladas na área rural da região da Chapada dos Veadeiros por causa das chuvas. As prefeituras de Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Niquelândia decretaram estado de calamidade.

O Governo de Goiás e a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) levaram 600 cestas básicas e 600 cobertores para entregar às comunidades quilombolas afetadas pelas chuva. As equipes saíram de Goiânia na terça-feira (28) e distribuíram kits até quinta-feira (30), quando começaram a retornar à capital.

De acordo com a OVG, como as famílias estão isoladas, boa parte das doações teve de ser levada de barco, por conta da dificuldade de acesso.

Outra comunidade quilombola atendida pelas equipes foi a do Rio Bonito, em Cavalcante. Conforme o governo, cerca de 400 famílias que foram afetadas pelas fortes chuvas receberam cesta básica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.