Secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, afirmou que ainda não é possível prever quando será pico da doença

Enfermeiros estão na linha de frente no combate ao coronavírus | Foto: Reprodução

De acordo com o balanço diário divulgado pelo Ministério da Saúde na noite desta quinta-feira, 5, o Brasil tem 30.925 novas pessoas infectadas com o novo coronavírus, totalizando 614.941. Além disso, o país registrou 1.473 novas mortes, o que totaliza a 34.021. Número vítimas ultrapassa Itália, com 33.689 óbitos.

Do total de casos confirmados, 325.957 estão em acompanhamento e 254.963 foram recuperados. Há ainda 4.159 óbitos sendo analisados.

O estado de São Paulo continua sendo epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de falecimentos (8.560), seguido pelo Rio de Janeiro (6.327), Ceará (3.813), Pará (3.416) e Pernambuco (3.134).

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, declarou que a curva continua ascendente no Brasil.

“Estamos em um aumento semana após semana. Estimamos uma estabilização nos próximos meses. Por conta do período sazonal, diminui a transmissão respiratória no Norte e Nordeste. Não é possível prever quando será o pico”, alertou.