No Dia da Mulher, Dilma Rousseff e ministra da Argentina debatem resistência feminina

Seminário virtual será transmitido no canal TVIAB no YouTube a partir das 17 horas

A argentina Elizabeth Gómez Alcorta e a ex-presidente Dilma Rousseff | Foto: Reprodução

Parte da agenda comemorativa pelo Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta terça-feira, 08, a ex-presidente da República Dilma Rousseff (PT) e a ministra das Mulheres, Gêneros e Diversidade da Argentina, Elizabeth Gómez Alcorta, discutem sobre resistência feminina, dentro do recorte do rompimento dos controles sociais, em um seminário virtual a partir as 17 horas. Promovido pelo Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), o debate será transmitido no canal TVIAB no YouTube.

Advogada criminalista com atuação marcante na defesa dos direitos humanos, Elizabeth Gómez Alcorta assumiu a pasta em dezembro de 2019, com o compromisso de lutar contra a violência de gênero e pela legalização do aborto. Um ano depois, no dia 30 de dezembro 2020, foi sancionada na Argentina a Lei de Interrupção Voluntária da Gravidez. Seis meses após a entrada em vigor da lei, que permite a interrupção até a 14ª semana da gestação, a ministra comemorou o fato de que, naquele período, nenhuma mulher havia morrido no País em decorrência de aborto. Antes da lei, 38 mil argentinas eram hospitalizadas, em média, todos os anos, por recorrerem ao procedimento. Desde 1983, mais de três mil mulheres morreram no país por causa de abortos clandestinos.   

O webinar será aberto pela presidente nacional do IAB, Rita Cortez. Também participarão do evento a diretora de Biblioteca e presidente da Comissão de Criminologia, Marcia Dinis; a professora da UFBA e ativista antiprisional Denise Carrascosa e a professora de Criminologia da UFSC e membro da Comissão de Criminologia Vera Regina Pereira de Andrade. O evento também marca o lançado do livro Sexualidade, Controle Social e Práticas Punitivas: do Signo Sacro Religioso ao Modelo Científico Médico Higienista, de autoria da vice-presidente da Comissão de Criminologia do IAB, Roberta Duboc Pedrinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.