Nesta sexta mais de 5 mil adultos da comunidade Kalunga serão vacinados contra a Covid-19

“Por ter conseguido a vacina, vamos conseguir salvar vidas a tempo. Somos gratos a rede de saúde estadual e municipal por ter atendido nosso pedido tão rapidamente”, diz o presidente da Associação Quilombo Kalunga (AQK)

Quilombos da Comunidade Engenho II, em Cavalcante. | Foto: Site da Universidade Federal de Goiás/reprodução

O governador do estado de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), publicou em seu perfil da rede social Instagram que na próxima sexta-feira, 05, todos os 5.252 adultos da comunidade Kalunga de Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás receberão a primeira dose da vacina contra a Covid-19. O anúncio foi realizado na manhã desta quinta-feira, 04.

“Eu fiz o compromisso de cuidar de cada um dos 7,2 milhões de goianos, sobretudo dos mais vulneráveis. A emoção é grande!”, afirmou o governador, na publicação.

Segundo o presidente da Associação Quilombo Kalunga (AQK) que abarca quilombolas dos três municípios, Jorge Moreira, o pedido de vacinação foi realizado na semana passada, via ofício à Secretaria de Saúde do Estado de Goiás (SES-GO). “Por ter conseguido a vacina, vamos conseguir salvar vidas a tempo. Somos gratos a rede de saúde estadual e municipal por ter atendido nosso pedido tão rapidamente”, diz o presidente.  

Para a advogada Vercilene Kalunga, a ansiedade de todos para a vacinação é grande, porque os mais velhos compõem toda a trajetória histórica do território, preserva as informações e, consequentemente, a cultura. “A maior parte do quilombo Kalunga é composto pelo que a gente chama de biblioteca viva do quilombo: os idosos”, complementa.

A líder quilombola, Lucilene Kalunga, também comemora. Apesar de residir em Goiânia e não estar entre os que serão vacinados, toda sua família, incluindo mãe e irmãos, receberão o imunizante.  

Covid-19 nos quilombos

Segundo o Observatório da Covid-19 nos Quilombos, plataforma online criada pela Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) e pelo Instituto Socioambiental (ISA), até agora foram confirmados 4962 casos de contaminação pelo novo coronavírus em quilombolas no Brasil. Ao todo, foram 210 óbitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.