“Não votaria uma vírgula diferente”, diz Eduardo Prado sobre voto contra Previdência

Declaração é feita após decisão judicial que suspendeu efeitos da PEC, aprovada antes do recesso parlamentar

Eduardo Prado (PV), autor da emenda | Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

O deputado estadual delegado Eduardo Prado (PV) se manifestou nesta quinta-feira, 2, sobre a decisão judicial que suspendeu os efeitos da PEC da Previdência. Em sua publicação, o parlamentar, que votou contra a matéria, destaca a suspensão da PEC, aprovada antes do recesso parlamentar.

Segundo relembra Eduardo, apesar de ser favorável às reformas, ele não teria sido escutado durante a tramitação da matéria, quando pediu por regra de transição que garantisse o quinquênio para parte do funcionalismo estadual.

“Não votaria uma vírgula diferente. Sei do valor do servidor público, principalmente dos quem ganham pouco, como educadores, profissionais da Saúde”, traz um dos trechos da publicação.

Prado compunha a base do governador Ronaldo (DEM) na Assembleia Legislativa de Goiás e, com o voto contrário, deixa de integrar o grupo. Não se sabe, no entanto, se sua atuação será de independência ou oposição.

PEC da Previdência 

O texto da PEC altera os artigos 11, 93, 95, 97 e 101 da Constituição Estadual e acrescenta o artigo 97-A. A justificativa do Governo é conferir aos servidores públicos estaduais o mesmo tratamento que foi atribuído aos da União, quanto às regras de concessão de aposentadoria, já que também estão vinculados também ao Regime Próprio de Previdência Social (RPPS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.