“Não tenho esse compromisso com o partido”, diz Lissauer Vieira sobre candidatura ao Senado

Presidente da Alego não confirma disposição para disputa da vaga, mas garante que trabalha com PSD para fortalecer chapa

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira, afirma que ainda não está discutindo possibilidades de candidatura para o Senado, apesar de Vilmar Rocha, presidente do PSD, ter declarado ao Jornal Opção que ele estaria mais motivado com o projeto. Segundo Lissauer, o momento é de ter atenção na conclusão do mandato na casa legislativa, deixando a definição de chapa para um próximo capítulo. “Eu não tenho esse compromisso com o partido e nem o partido comigo, mas estamos conversando para chegar nas convenções com uma estrutura que apresente o partido fortalecido”, diz.

Lissauer retirou o projeto de candidatura a deputado no início do ano, após o falecimento do pai. Segundo apostas do PSD, agora ele estaria inclinado a retomar a disputa com foco no Senado, mas não há confirmações da mudança de postura. “Hoje não falo que tenho tendência maior ou menor. Minha posição continua sendo de encerrar meu mandato, viabilizar governabilidade para Caiado e só depois sentar e decidir o futuro do partido”, aponta.

Apesar disso, ele reconhece que o momento de debate é diferente, especialmente desde que o nome de Henrique Meirelles saiu da disputa. Lissauer pontua que, com a perda da possibilidade de lançar o ex-ministro para a corrida eleitoral, o partido passou a estudar outros caminhos e ainda deve ter “várias conversas pra poder ver qual nome pode compor a majoritária”. Quanto aos possíveis nomes trabalhados, porém, Lissauer diz que o PSD ainda não tem definições. “Não temos condição de falar quais são os nomes hoje porque agora é que serão feitos os encontros regionais e as discussões internas, mas o partido tem estrutura política com bons nomes para poder indicar”, afirma.

Até o momento a única definição é o caminho ao lado de Ronaldo Caiado (UB) e a intenção de compor chapa majoritária com o governador. Lissauer afirma que o partido ainda não discutiu possibilidades de candidatura independente para o Senado e garante que, por ora, “a tendência é indicar a vaga na composição com o governador”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.