“Não pode acontecer” novo ajuste no preço dos combustíveis, diz Bolsonaro

Para o presidente da República, o ideal é que a estatal seja privatizada

Em entrevista a jornalistas em Anguillara Veneta, na Itália, presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que novo reajuste no preço dos combustíveis no Brasil “não pode ocorrer”. Só a gasolina, em 2021, já sofreu 11 aumentos e quatro reduções, sendo 15 reajustes ao todo. Já o diesel teve 12 movimentações, sendo nove aumentos e três reduções.

“Petrobras já anuncia –sei extraoficialmente– novo reajuste daqui a uns 20 dias. Isso não pode acontecer. A gente não aguenta, porque o preço do combustível está atrelado à inflação. E falou em inflação, perde poder aquisitivo. E a população não está com salário preservado durante os últimos anos”, diz Bolsonaro.

Durante a entrevista, o presidente ainda afirmou ter conversado com o chefe do Ministério de Economia, Paulo Guedes, sobre a privatização da estatal. “O ideal, falei para Paulo Guedes, é partirmos para privatizar a Petrobras. Isso é o ideal, no meu entender, que deve acontecer. Agora, não é botar na prateleira hoje e vender amanhã. Esse processo vai durar mais de anos. Questão imediata é preço do combustível”, completou.

Nesta semana, Bolsonaro chegou a afirmar que quando retornasse ao Brasil, após participar da cúpula do G20, teria um “jogo pesado” com a Petrobrás. “Nesta semana vai ser um jogo pesado com a Petrobras, porque eu indico o presidente, tem que passar pelo Conselho e tudo que de ruim acontece lá cai no meu colo e o que é de bom cai nada em meu colo”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.