“Não há sinal de que a curva de contágio esteja fora do esperado”, avalia presidente da Unimed


Sergio Baiocchi aponta que medidas de isolamento social implantadas em Goiás foram acertadas e tem evitado o colapso do sistema de saúde

Cardiologista Sérgio Biocchi, presidente da Unimed | Foto: Fernando Leite

Especialista aponta graças as medidas de isolamento social implantadas em Goiás a contaminação no estado segue em um ritmo baixo. O estado registrou nos últimos 15 dias uma média 16 casos diários segundo o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde. Esse número revela que o distanciamento tem funcionado funcionado e reduziu a velocidade da transmissão, consequentemente  curva se mantém instável.

O presidente da Unimed Goiás, Sergio Baiocchi, calcula que o primeiro mês da pandemia, as medidas tomadas em Goiás se mostram eficientes. “A minha análise se baseia que não há um sinal de que a curva esteja fora do esperado. Observando os dados oficiais do Ministério da Saúde, vemos que Goiás mantem uma constância no registro dos casos, que diariamento fica entre 17 e 20 confirmações”, aponta. “Vale lembrar que nossas UTIs estão com menos 50% de ocupação, ou seja, estamos com capacidade ainda de atender”, completa.

Sergio Baiocchi avalia que Goiás tem menos registros de casos porque implantou de forma mais precoce as medidas de isolamento social e combatendo as aglomerações. “As autoridades tem conduzido muito bem a situação sempre com a máxima responsabilidade, mesmo estando de uma situação desconhecida e inédita para todos”, afirma. 

Sobre o relaxamento do isolamento social, o médico e presidente da Unimed aponta que isso deve ser feito sempre observando a curva de registro da Covid-19. “Se qualquer um dizer que está na hora de abrir ele não sabe o que está dizendo. Precisa ser um atitude de abrir gradualmente, tem que ver a curva, ver se pode relaxar mais, pedir que todos usem máscaras, e assim seguir controlando para que não se tenha um pico da doença”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.